Anorexia Nervosa – Principais sinais, Sintomas, Causas e Tratamento
Muitos de nós as vezes pensamos que poderíamos ser diferentes. Isso é apenas um sentimento humano. Mas se uma preocupação com o “ficar magro”  tomou conta dos seus hábitos alimentares, pensamentos e vida, você pode estar sofrendo de um distúrbio alimentar. Quando você sofre com anorexia, o desejo de perder peso torna-se mais importante do que qualquer outra coisa na vida. Você pode até perder a capacidade de se ver como realmente é. Mas você não está sozinho e a recuperação é totalmente possível. Com o tratamento e suporte corretos, você pode interromper o padrão autodestrutivo da anorexia e recuperar sua saúde e autoconfiança.

O que é anorexia nervosa?

A anorexia nervosa é um transtorno alimentar grave que leva a uma perda de peso não saudável, muitas vezes perigosa. Embora seja mais frequente entre as mulheres adolescentes, a anorexia pode prejudicar mulheres e homens de todas as idades e é marcada por uma recusa em manter um peso corporal saudável, um medo intenso de engordar e uma imagem corporal distorcida da realidade.

Na cultura hoje que é obcecada com a imagem, muitos de nós nos mantemos atentos ao aumento de peso, mas se você tiver sofrendo de anorexia, você será capaz de chegar aos extremos para manter um baixo peso. De fato, pensamentos sobre sua dieta, comida e seu corpo podem ocupar a maior parte do seu dia – deixando muito pouco tempo para amigos, familiares e outras atividades que você deveria desfrutar. A vida se torna uma busca que não acaba nunca de magreza e uma perda de peso intensa. Mas não importa quão magro você se torne, nunca parece ser suficiente.

***************************************************************Propaganda

A Espirulina ou Spirulina é um tipo de alga (cianobactéria) que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Apresentam em sua composição vitaminas, sais minerais, clorofila A, carotenóides, fenilalanina, entre outras substâncias ativas.
Espirulina é uma alga microscópica azul esverdeada composta por uma única célula e que torna a luz solar em energia ativa.
Evidências científicas relacionam o uso de Spirulina com a inibição do apetite, sustentadas na possibilidade de que a fenilalanina (precursor da norepinefrina) possa agir no sistema nervoso central, inibindo o apetite; também devido à capacidade que estas algas têm de absorver água, aumentando a sensação de estômago cheio. Artigos publicados na literatura sugerem que outras substâncias encontradas na espirulina, como biotina e ferridoxina podem promover a desintoxicação do organismo, porque auxiliam na eliminação de CO2. Para mais informações, clique aqui.

Indicações da Espirulina 
• Suplemento dietético;
• Auxiliar em regimes de emagrecimento;
• Evita a desnutrição;
• Grandes atividades psíquicas e físicas;
• Combate gastrites, úlceras gastroduodenais e desconfortos estomacais;
• Auxiliar nos regimes de emagrecimento;
• Promove sensação de saciedade;
• Fonte de vitaminas e minerais. 

************************************************************

Você pode tentar perder peso ao passar fome sempre, se exercitando excessivamente, ou usando laxantes, incitar a vômitos ou outros métodos para se purificar depois de comer. Este medo intenso de engordar com a aparência do seu corpo, pode tornar as refeições e toda a vida muito estressante. E, no entanto, a comida e o que você pode ou não pode comer é praticamente tudo o que você pode pensar. Mas, independentemente de quão pesado seja seu padrão autodestrutivo, há esperança. Com tratamento, auto-ajuda e apoio corretos, você pode interromper a retenção, a anorexia sobre você, desenvolver uma imagem corporal mais realista e recuperar um equilíbrio mais saudável em sua vida.

 

Tipos de anorexia

Tipo de restrição ou anorexia, onde a perda de peso é conseguida através da restrição extrema de calorias (seguindo algumas dietas drásticas, jejum e exercitando em excesso)

Purgante, onde a perda de peso é conseguida pelo vômito ou pelo uso de laxantes e diuréticos.

Anorexia Nervosa - Sinais, Sintomas, Causas e Tratamento

Você é anoréxico?

  • Você sente que está gordo mesmo que as pessoas lhe digam que você não está?
  • Você tem medo de ganhar peso?
  • Você mente sobre o quanto você come, ou costuma esconder seus hábitos alimentares dos outros?
  • Os seus amigos ou familiares estão preocupados com a sua perda de peso repentina, hábitos alimentares ou aparência?
  • Você faz dieta, exerce compulsivamente ou purga quando se sente sobrecarregado ou mal com você?
  • Você se sente poderoso ou com controle quando você vai sem comida, excesso de exercício ou purga?
  • Você baseia sua auto-estima no seu peso ou no seu tamanho corporal?

Sinais e sintomas de anorexia

Viver com anorexia significa que você está constantemente escondendo seus hábitos dos outros. Isso dificulta, pelo menos no começo, que amigos e familiares vejam os sinais do problema. Quando confrontado, você pode tentar explicar o seu problema e afastar as preocupações. Mas, à medida que a anorexia avança no seu corpo, as pessoas próximas a você não poderão negar seus instintos de que algo está errado – e você também não deveria.

Sintomas de comportamento alimentar

Dieta, apesar de estar magro – Seguir uma dieta severamente restrita. Mesmo se comer apenas alguns alimentos com baixas calorias. Proibindo alimentos “considerados ruins”, como carboidratos e gorduras.

Obsessão com calorias, gramas de gordura e nutrição geral – Leitura de todos os rótulos de alimentos, medição e vício de pesagem, mantendo um diário de alimentos, lendo vários livros dietéticos.

Fingindo comer ou falar que já comeu – Escondendo ou mentindo, para evitar comer. Inventar desculpas para sair das refeições (“Eu tive um enorme almoço” ou “Meu estômago não está bem”).

Preocupação com todos os alimentos – Pensar constantemente em alimentos.

Rituais de alimentos estranhos ou secretos – Recusando em comer perto dos outros ou em lugares públicos. Comer de forma rígida e ritualística (por exemplo, cortar alimentos “apenas dessa forma”, mastigar alimentos e cuspir, usando uma placa específica).

Aparência e sintomas da imagem corporal

Perda de peso dramática – Perda de peso rápida e drástica sem nenhuma causa médica.

Sentimento de estar gordo, apesar de estar abaixo do peso – Você pode achar que tem excesso de peso em geral ou apenas “muita barriga” em certos lugares, como o estômago, quadris ou coxas.

Fixação pela imagem do corpo – Obsessão com o peso, a forma do corpo ou o tamanho da roupa. Se pesar de forma frequente e preocupação com pequenas mudanças de peso.

Consideração critica da aparência – Passar muito tempo na frente do espelho, procurando falhas. Sempre há algo a se criticar. Você nunca é magro o suficiente.

Negando que você esteja  magro – Você pode não aceitar que seu baixo peso corporal é um problema, enquanto tenta esconder sua condição física.

Sintomas de purga

Usando pastilhas dietéticas, laxantes ou mesmo diuréticos – Abusando pílulas de água, supressores de apetite à base de plantas, estimulantes de prescrição, além de outras drogas para perda de peso.

Prática de exercício compulsivo – Seguindo um regime de exercícios extremamente pesado, destinado apenas a queimar calorias. A pratica de exercício mesmo com lesões, doenças e mau tempo. Treinando demais depois de comer algo “ruim”.

Causas e efeitos da anorexia

Não há respostas simples para o que leva a anorexia. A anorexia é uma condição muito complexa, que surge de uma combinação de muitos fatores sociais, emocionais e também biológicos. Embora a idealização da magreza na nossa cultura desempenhe um papel poderoso, existem diversos outros fatores contribuintes, incluindo o ambiente familiar, dificuldades emocionais, baixa auto-estima e experiências traumáticas negativas, que você pode ter passado.

Principais fatores de risco

  • Insatisfação corporal extrema
  • Dieta estrita
  • Baixa autoestima frequente
  • Dificuldade em expressar sentimentos
  • Perfeccionismo no corpo
  • Relacionamentos familiares problemáticos
  • História de abuso físico ou sexual
  • História familiar de transtornos alimentares

Efeitos da anorexia

Embora as causas da anorexia sejam ainda incertas, os efeitos físicos são claros. Quando seu corpo não recebe o combustível necessário  para funcionar normalmente, ele entra em modo de fome, e assim diminui a velocidade para economizar energia. Essencialmente, seu corpo começa a se consumir por dentro. Se a fome induzida continua e mais gordura corporal é perdida, as complicações médicas se acumulam e seu corpo e mente pagam o preço.

Fonte: Centro Nacional de Informações sobre Saúde da Mulher

Conseguindo ajuda

Pedir ajuda para o caso de anorexia não é uma atitude fácil. Não é incomum sentir que a anorexia já faz parte de sua identidade – ou mesmo que virou seu “amigo”.

Você pode pensar que a anorexia possui um controle tão poderoso sobre você que você nunca poderá superá-lo. Mas, embora a mudança seja difícil, sempre é possível.

Passos para a recuperação da anorexia

Reconheça que você tem um problema. Até agora, você pensou de que a vida será melhor – que você finalmente se sentirá plenamente bem – se você perder mais peso. O primeiro passo para conseguir a recuperação da anorexia é reconhecer que sua busca implacável de magreza está fora de seu controle e identificar o dano físico e emocional que você sofreu por causa dela.

Discuta com alguém. Pode ser difícil discutir sobre o que você está passando, especialmente se você manteve sua anorexia sem falar pra ninguém por muito tempo. Você pode até sentir vergonha ou medo. Mas é importante reconhecer que você não está sozinho. Encontre um bom ouvinte – alguém que o apoiará enquanto você tenta melhorar.

Fique longe de pessoas, lugares e atividades que podem levar a assuntos sobre comida. Você pode precisar ficar longe de assuntos como moda ou fitness, passar menos tempo com amigos que constantemente comentam sobre alimentos e falam sobre a perda de peso e mantêm-se longe de sites de perda de peso e sites “pró-anorexia”, que promovem a anorexia.

Procure ajuda profissional. O conselho e o apoio de profissionais treinados para ajudar com casos transtornos alimentares podem ajudá-lo a melhorar sua saúde, aprender a comer normalmente novamente e desenvolver atitudes mais saudáveis ​​sobre alimentos e seu corpo.

Tratamento médico para anorexia

A primeira coisa a se fazer no tratamento da anorexia é reconhecer e gerenciar quaisquer problemas de saúde sérios. A hospitalização pode ser necessária em alguns casos, se você estiver perigosamente desnutrido ou tão angustiado que não tenha mais esperança. Você também pode ser hospitalizado até atingir um peso menos crítico.

Dica 1: Entenda que isso não é realmente sobre peso ou comida

As questões que envolvem o alimento e o peso podem ser sintomas de algo mais profundo: coisas como depressão, solidão, insegurança, pressão para ter uma imagem perfeita ou sentir-se fora de controle. Coisas que nenhuma nova dieta ou método para perder peso possa curar.

A diferença entre dieta e anorexia
Dieta saudávelAnorexia
Uma dieta saudável é uma tentativa de controlar/diminuir o peso.A anorexia é uma tentativa de controlar sua vida e emoções.
Sua auto-estima é baseada em mais do que apenas o seu peso e a sua imagem do corpo.Sua auto-estima baseia-se totalmente em quanto você pesa e quão magro você é.
Você vê a perda de peso como forma de melhorar sua saúde no geral e aparência.Você vê a perda de peso como uma maneira de alcançar a felicidade plena.
Seu objetivo é perder peso através de uma forma saudável.Tornar-se magro é tudo o que importa para você; A saúde não é uma preocupação.

 

Para se tratar da a anorexia, primeiro você precisa entender e reconhecer que atende a uma necessidade em sua vida. Por exemplo, talvez você se sinta impotente em muitas outras partes da sua vida, mas você pode gerenciar o que você come. Dizer “não” à comida, conseguir superar a fome e controlar o peso pode fazer você se sentir forte e bem sucedido – pelo menos por um curto período de tempo. Você pode até vir a encarar suas dores de fome como forma de demonstrar um “talento especial”, que a maioria das pessoas não possui.

A anorexia também pode ser uma maneira de evitar emoções difíceis. Quando você gasta a maior parte do tempo pensando em alimentos, dieta e perda de peso, você não precisa encarar outros problemas em sua vida ou lidar com emoções complicadas.

Infelizmente, qualquer felicidade que você tenha perder algum peso é extremamente curto. Dieta e perda de peso não podem reparar a sua auto-imagem negativa que causa a anorexia. A única maneira de conseguir isso é identificar a necessidade emocional que a auto-fome cumpre e encontrar outras formas de atendê-la.

Dica 2: Aprenda a tolerar seus sentimentos

Reconhecer os problemas paralelos que impulsionam seu transtorno alimentar é o primeiro passo para conseguir a recuperação, mas o reconhecimento sozinho não é suficiente. Digamos, por exemplo, que seguir algumas regras de alimentos restritivas faz com que você se sinta mais seguro e poderoso. Quando você ignora esse mecanismo de enfrentamento, você será obrigado a lidar com os sentimentos de medo e desamparo, que sua anorexia ajudou você a evitar.

Enfrentar seus sentimentos pode ser extremamente desconfortável. É por isso que você pode se sentir pior no início da sua recuperação. Mas a resposta é não voltar aos hábitos alimentares destrutivos que você anteriormente usou para se distrair; é aprender a aceitar e tolerar todos os seus sentimentos – inclusive os negativos.

Usando atenção para lidar com emoções difíceis

Quando você começa a se sentir sobrecarregado e triste, o desconforto ou o desejo de evitar os alimentos, separe um momento para parar o que estiver fazendo e analisar o que está acontecendo nos seus pensamentos.

Identifique a emoção que você está sentindo. É culpa? Vergonha? Desamparo? Tristeza? Solidão? Ansiedade? Desapontamento?  Medo? Insegurança?

Aceite a experiência que você está tendo. Evitar os sentimentos e criar resistência apenas fortalecem as emoções negativas. Em vez disso, tente aceitar o que você está sentindo sem se julgar.

Uma vez que você aprende a aceitar e tolerar todos seus sentimentos, eles não parecerão mais assustadores. Você perceberá que você ainda está no controle, e que as emoções negativas são apenas por tempo. Depois de parar de lutar contra eles, eles passarão de forma mais  rápida.

Dica 3: Desafio de mentalidades prejudiciais

As pessoas que sofrem de anorexia são muitas vezes perfeccionistas. Eles procuram ser os filhos “perfeitos”, que fazem tudo o que lhes dizem, tentam se destacar em tudo o que fazem e tentam se concentrar em agradar aos outros. Mas enquanto eles parecem serem pessoas de destaque, dentro eles se sentem indefesos, inadequados e sem valor.

Se isso te parece o seu caso, aqui está a boa notícia: esses sentimentos não refletem a atual realidade. Eles são alimentados por formas irracionais e auto-sabotais de pensar que você pode aprender a superar.

Atitudes prejudiciais que alimentam a anorexia

Pensamento de tudo ou nada. Através desta forma muito severa e crítica, se você não é perfeito, você é uma falha. Você tem dificuldade em ver as coisas reais, pelo menos quando se trata de você mesmo.

Ratificação emocional. Você acredita que se você se enxergar de uma certa maneira, deve ser verdade. “Eu sinto que estou gordo” significa “eu sou gordo”. “Eu me sinto desesperado” significa que você nunca vai melhorar na vida.

Denominação. Você se chama com base em seus erros e deficiências percebidas. “Estou infeliz com a minha aparência”, me faz ser”desagradável”.

Catastrófica. Você se considera sempre ser o pior caso. Se você retroceder durante a recuperação, por exemplo, você assume que não há esperança de que você melhore.

***************************************************************Propaganda

A Espirulina ou Spirulina é um tipo de alga (cianobactéria) que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Apresentam em sua composição vitaminas, sais minerais, clorofila A, carotenóides, fenilalanina, entre outras substâncias ativas.
Espirulina é uma alga microscópica azul esverdeada composta por uma única célula e que torna a luz solar em energia ativa.
Evidências científicas relacionam o uso de Spirulina com a inibição do apetite, sustentadas na possibilidade de que a fenilalanina (precursor da norepinefrina) possa agir no sistema nervoso central, inibindo o apetite; também devido à capacidade que estas algas têm de absorver água, aumentando a sensação de estômago cheio. Artigos publicados na literatura sugerem que outras substâncias encontradas na espirulina, como biotina e ferridoxina podem promover a desintoxicação do organismo, porque auxiliam na eliminação de CO2. Para mais informações, clique aqui.

Indicações da Espirulina 
• Suplemento dietético;
• Auxiliar em regimes de emagrecimento;
• Evita a desnutrição;
• Grandes atividades psíquicas e físicas;
• Combate gastrites, úlceras gastroduodenais e desconfortos estomacais;
• Auxiliar nos regimes de emagrecimento;
• Promove sensação de saciedade;
• Fonte de vitaminas e minerais. 

************************************************************

Analise seus pensamentos

Depois de reconhecer os padrões de pensamentos destrutivos que você passa, você pode começar a desafiá-los com perguntas simples como:

  • “Qual é a evidência de que esse pensamento é verdadeiro? Não é verdade?”
  • “O que eu diria a um amigo que tivesse tendo esse pensamento?”
  • “Existe outra maneira de ver a situação ou uma explicação alternativa?”
  • “Como eu posso ver essa situação se eu não tivesse sofrendo anorexia?”

Ao analisar seus pensamentos negativos, você pode ficar feliz com a rapidez com que eles se não se sustentam. No processo, você desenvolverá uma perspectiva mais equilibrada.

Anorexia Nervosa - Sinais, Sintomas, Causas e Tratamento

Dica 4: Desenvolva um relacionamento mais saudável com alimentos

Embora a anorexia não seja de fato sobre alimentos, ao longo do tempo você desenvolveu hábitos alimentares prejudiciais que podem ser duros de quebrar. Desenvolver uma relação mais saudável com alimentos traz ainda:

  • Voltar a um peso saudável
  • Voltar a comer mais alimentos
  • Alterar a forma como você pensa sobre si mesmo e comida

Retirar as regras rígidas de alimentos

Ao seguir regras rígidas pode ajudá-lo a se sentir no total controle, mas isso é uma ilusão temporária. A verdade é que essas regras te controlam, e não o contrário. Para melhorar, você precisará deixar algumas coisas serem como são. Esta é uma grande mudança que possa parecer assustadora no início, mas no dia a dia, ficará mais fácil.

Volte ao contato com seu corpo. Se você sofreu de anorexia, aprendeu a ignorar os sinais de fome e saciedade do seu corpo. Você pode até não reconhecê-los mais. O objetivo é voltar a ter contato com essas partes internas, para que você possa comer apenas na base em suas necessidades fisiológicas.

Permita-se comer todos os alimentos. Em vez de colocar certos alimentos como proibidos, coma o que quiser, mas preste atenção em como se sente fisicamente logo depois de comer diferentes alimentos. Idealmente, o que você come deve deixar você se sentir satisfeito e também energizado.

Livrar-se da sua balança. Em vez de se concentrar no peso como uma medida de auto-estima, procure focar em como você se sente. Faça da saúde e da vitalidade seu objetivo, não se baseando em um número na balança.

O papel dos planos de refeições

Se você precisa ganhar peso, uma nutricionista ou médico pode ajudá-lo a elaborar um plano de refeições saudável que inclua calorias suficientes para você voltar a ter um peso normal. Enquanto você pode fazer isso por conta própria, provavelmente você não reconhece mais o que é uma refeição normal ou um tamanho de porção.

Passando seu medo de ganhar peso

Voltar a um peso normal não pode ser uma tarefa fácil. O pensamento de ganhar peso provavelmente é assustador, e você pode ser tentado a resistir.

Mas esse medo é um sintoma clássico de sua anorexia. Se instruir sobre a anorexia ou conversar com outras pessoas que viveram com ela pode ajudar também. Também ajuda a ser sincero sobre seus sentimentos e seus medos.

Ajudando alguém com anorexia

Embora existam coisas que você pode fazer para ajudar alguém que sofre de um transtorno alimentar, você não pode forçar a pessoa a melhorar de forma bruta. E por causa da defensividade e da negação envolvidas na anorexia, você precisará agir de forma devagar. Realçar em torno de artigos sobre os efeitos terríveis da anorexia ou ficar avisando que  “Você vai morrer se você não comer!” Provavelmente não vai funcionar. Uma melhor abordagem é expressar suavemente suas preocupações e deixar a pessoa saber que você está presente para escutar. Se o seu amado está disposto a conversar, ouça e não faça julgamento, não importa o quão fora de contato a pessoa soa.

Dicas para ajudar um ente querido

Pense em si mesmo como uma pessoas “que não entende”. Como alguém que não sofre de anorexia, não há muito o que você pode fazer para “tratar” a anorexia do seu amado.

Seja um modelo para uma alimentação saudável, exercício e de cuidado corporal. Não faça comentários pejorativos sobre seu próprio corpo ou de qualquer outra pessoa.

Se cuide. Procure conselhos de um profissional da saúde, mesmo que seu amigo ou membro da família não o peça.

Não atue como a polícia de alimentos. Uma pessoa com anorexia precisa de compaixão e apoio, e não uma figura de autoridade que fica sobre a mesa com um contador de calorias.

Evite ameaças, táticas de assustador, explosões de raiva e derrubadas. Tenha em mente que a anorexia é muitas vezes um sintoma de sofrimento emocional extremo e se desenvolve a partir de uma tentativa de controlar o estresse da dor emocional e / ou auto-ódio. A comunicação negativa só vai piorar.

Perguntas comuns sobre a anorexia nervosa

 

Pesquisa de suporte

Barabasz M. Eficácia da hipnoterapia no tratamento de distúrbios alimentares. Int J Clin Exp Hypn. 2007 Jul; 55 (3): 318-335. Reveja.

Birmingham CL, Sidhu FK. Tratamentos médicos complementares e alternativos para anorexia nervosa: relato de caso e revisão da literatura. Eat Weight Disord . 2007 Sep; 12 (3): e51-e53. Reveja.

Clarke TK, Weiss AR, Berrettini WH. A genética da anorexia nervosa. Clin Pharmacol Ther. 2012; 91 (2): 181-8.

Cook-Darzens S, Doyen C, Mouren MC. Terapia familiar no tratamento da anorexia nervosa na adolescência: evidência de pesquisa atual e suas implicações terapêuticas. Eat Weight Disord. 2008; 13 (4): 157-170.

Escolar DM, Buyse G, Henricson E, et al. CINRG randomizado ensaio controlado de creatina e glutamina na distrofia muscular de Duchenne. Ann Neurol . 2005; 58 (1): 151-155.

Espindola CR, Blay SL. Tratamento de anorexia nervosa do ponto de vista do paciente: uma metasíntese de estudos qualitativos. Ann Clin Psychiatry. 2009; 21 (1): 38-48.

Ferri: Consultor Clínico de Ferri, 2015, 1º ed. Isso já está em português. St. Louis, MO: Elsevier Mosby. 2014.

Campo T. efeitos da terapia de massagem. Am Psychol . 1998; 53: 1270-1281.

Franko DL, Keshaviah A, Eddy KT, et al. Uma investigação longitudinal da mortalidade na anorexia nervosa e bulimia nervosa. Am J Psiquiatria. 2013; 170 (8): 917-25.

Goldman. Goldman’s Cecil Medicine, 24ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier Saunders. 2011.

Holman RT, Adams CE, Nelson RA, et al. Pacientes com anorexia nervosa demonstram deficiências de ácidos graxos essenciais selecionados, alterações compensatórias em ácidos graxos não essenciais e diminuição da fluidez dos lipídios plasmáticos. J Nutr 1995; 125: 901-907.

Keski-Rahkonen A, Raevuori A, Bulik CM, Hoek HW, Rissanen A, Kaprio J. Fatores associados à recuperação da anorexia nervosa: um estudo populacional. Int J Eat Disord. 2014; 47 (2): 117-23.

Kishi T, Kafantaris V, Sunday S, Sheridan EM, Correll CU. Os antipsicóticos são eficazes para o tratamento da anorexia nervosa? Resultados de uma revisão sistêmica e meta-análise. J Clin Psychiatry. 2012; 73 (6): e757-e766.

Kleifield EI, Wagner S, Halmi KA. Tratamento cognitivo-comportamental da anorexia nervosa. Psychiatric Clin N Am . 1996; 19: 715-737.

LaValle JB, Krinsky DL, Hawkins EB, et al. Natural Therapeutics Pocket Guide . Hudson, OH: LexiComp; 2000: 387-388.

Loeb KL, Walsh BT, Lock J, le Grange D, Jones J, Marcus S, Weaver J, Dobrow I. Ensaio aberto de tratamento familiar para anorexia nervosa total e parcial na adolescência: evidência de disseminação bem-sucedida. J Am Acad Child Adolesc Psychiatry . 2007 Jul; 46 (7): 792-800.

Lozano GA. Obesidade com anorexia nervosa sexualmente selecionada. Hipóteses Med. 2008; 71 (6): 933-940.

McNulty. Prevalência e fatores contribuintes dos comportamentos do transtorno alimentar em homens da Marinha ativa. Mil Med. 1997; 162 (11): 753-758.

Moyano D, Sierra C, Brandi N, et ai. Estado antioxidante na anorexia nervosa. Int J Eating Disord. 1999; 25: 99-103.

Papadopoulos FC, Ekbom A, Brandt L, Ekselius L. Excesso de mortalidade, causas de morte e fatores prognósticos na anorexia nervosa. Br J Psychiatry. 2009; 194 (1): 10-17.

Pop-Jordanova N. Características psicológicas e mitigação de biofeedback em pré-adolescentes com transtornos alimentares. Ped Int . 2000; 42: 76-81.

Rakel: livro de texto de medicina familiar, 8ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier Saunders. 2011.

Rock CL, Vasantharajan S. Status vitamínico dos pacientes com transtorno alimentar: relação com índices clínicos e efeito do tratamento. Int J Eating Disord. 1995; 18: 257-262.

Rotsein OD. Oxidantes e terapia antioxidante. Crit Care Clin . 2001; 17 (1): 239-247.

Shay NF, Manigan HF. Neurobiologia do comportamento alimentar influenciado pelo zinco. J Nutr. 2000; 130: 1493S-1499S.

Simopoulos AP. Omega-3 ácidos graxos em inflamação e doenças auto-imunes. J Am Coll Nutr . 2002; 21 (6): 495-505.

Vancampfort D, Vanderlinden J, De Hert M, et ai. Uma revisão sistemática das intervenções de fisioterapia para pacientes com anorexia e bulemia nervosa. Disabil Rehabil . 2014; 36 (8): 628-34.

Wang HK. O potencial terapêutico dos flavonóides. Expert Opin Investig Drogas . 2000; 9 (9): 2103-2119.

Wheatland R. Considerações de tratamento alternativo na anorexia nervosa. Hipóteses Med. 2002; 59 (6): 710-715.

Williams PM, Goodie J, Motsinger CD. Tratar distúrbios alimentares na atenção primária. Am Fam Médico. 2008 15 de janeiro; 77 (2): 187-195.

Wiseman CV, Harris WA, Halmi KA. Distúrbios alimentares. Medical Clin N Am . 1998; 82: 145-159.

Wolfe BE, Metzger ED, Jimerson DC. Atualização da pesquisa sobre a função da serotonina na bulimia nervosa e na anorexia nervosa. Psychopharmacol Bull . 1997; 33: 345-354.

Yoon JH, Baek SJ. Alvos moleculares de polifenóis alimentares com propriedades anti-inflamatórias. Yonsei Med J . 2005; 46 (5): 585-596.

Young D. O uso de hipnoterapia no tratamento de distúrbios alimentares. Hipnose contemporânea. 1995; 12: 148-153.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here