Transtorno de compulsão alimentar – Sintomas, tratamento e ajuda para parar de comer de forma compulsiva 

Todos nós comemos muito algumas vezes. Mas se você regularmente come muito, enquanto se sente fora de controle e impotente para conseguir parar, você pode estar sofrendo de uma desordem compulsiva. Você pode comer até o ponto de sentir desconforto, depois ser atormentado por sentimentos de culpa, vergonha ou mesmo uma depressão depois surgir por sua falta de autocontrole, ou se preocupar com o que esse comportamento vai  fazer ao seu corpo. É importante saber que o transtorno compulsivo pode ser tratável. Você pode aprender a quebrar o ciclo de compulsão alimentar, desenvolver uma relação mais saudável com os alimentos e se sentir bem com você novamente.

O que é transtorno de compulsão alimentar?

O transtorno de compulsão alimentar é considerado um transtorno alimentar comum, onde com frequência se acaba comendo grandes quantidades de alimentos, enquanto se sente incapaz de parar, e extremamente angustiado durante ou depois o consumo. O transtorno de compulsão alimentar frequentemente começa no final da adolescência ou mesmo no início da idade adulta, muitas vezes após uma dieta muito restritiva. Durante uma compulsão, você pode comer mesmo quando não está mais com fome, e continuar comendo muito depois de estar cheio. Ao contrário da  bulimia, no entanto, não há tentativas regulares de “compensar” os exageros através de vômitos, jejum ou excesso de exercícios.

***************************************************************

Propaganda

A Espirulina ou Spirulina é um tipo de alga (cianobactéria) que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Apresentam em sua composição vitaminas, sais minerais, clorofila A, carotenóides, fenilalanina, entre outras substâncias ativas.
Espirulina é uma alga microscópica azul esverdeada composta por uma única célula e que torna a luz solar em energia ativa.
Evidências científicas relacionam o uso de Spirulina com a inibição do apetite, sustentadas na possibilidade de que a fenilalanina (precursor da norepinefrina) possa agir no sistema nervoso central, inibindo o apetite; também devido à capacidade que estas algas têm de absorver água, aumentando a sensação de estômago cheio. Artigos publicados na literatura sugerem que outras substâncias encontradas na espirulina, como biotina e ferridoxina podem promover a desintoxicação do organismo, porque auxiliam na eliminação de CO2. Para mais informações, clique aqui.

Indicações da Espirulina 
• Suplemento dietético;
• Auxiliar em regimes de emagrecimento;
• Evita a desnutrição;
• Grandes atividades psíquicas e físicas;
• Combate gastrites, úlceras gastroduodenais e desconfortos estomacais;
• Auxiliar nos regimes de emagrecimento;
• Promove sensação de saciedade;
• Fonte de vitaminas e minerais. 

 

 

************************************************************

Você pode achar que a compulsão alimentar traz um sentimento feliz por um breve momento, ajudando a aliviar emoções desagradáveis ​​ou sentimentos de estresse, depressão ou ansiedade na sua vida. Mas então a realidade volta a ser consciente e você está inundado de sentimentos de arrependimento e auto-aversão. A ingestão excessiva geralmente leva ao ganho de peso e à obesidade, o que só reforça a sua compulsão alimentar. Quanto pior você se sentir sobre você e sua aparência, mais você usa comida para lidar. Torna-se um ciclo altamente vicioso: comer para se sentir melhor, depois passa a sensação e você se sente pior, e depois voltar a comida para trazer algum alívio. Tanto quanto você pode se sentir incapaz de quebrar este ciclo, há muitas coisas que você pode fazer para controlar melhor suas emoções e reaver o controle sobre sua alimentação e sua saúde.

Compulsão alimentar - Sintomas, tratamento e ajuda

Sinais e sintomas

Se você sofrendo com o transtorno de compulsão alimentar, você pode sentir vergonha sobre seus hábitos alimentares, e tentar esconder seus sintomas comendo em segredo.

Sintomas comportamentais da compulsão

  • Incapacidade de finalizar a refeição ou controlar o que está comendo
  • Rapidamente comer grandes quantidades de alimentos
  • Comer mesmo quando se está cheio
  • Escondendo ou armazenando alimentos em outros lugares para comer depois em segredo
  • Comendo normalmente perto dos outros, mas comer ainda mais coisa quando você está sozinho
  • Comer continuamente ao longo do dia, sem horários planejados

Sintomas emocionais

  • Sentir o estresse ou tensão que só é aliviado após comer
  • Consciência fraca sobre o quanto você está comendo
  • Sentir-se entorpecido enquanto come – como se você não estivesse realmente lá ou como estar no piloto automático.
  • Nunca se sinta totalmente satisfeito, não importa o quanto você coma
  • Sentindo-se culpado ou deprimido depois de comer demais
  • Desespero para controlar o peso e hábitos alimentares

Você tem transtorno de compulsão alimentar?

  • Você se sente fora de controle quando está comendo? Ocorre com frequência?
  • Você pensa em comida o tempo todo?
  • Você come em segredo? Porque?
  • Você come até sentir-se com dor?
  • Você come para fugir das preocupações, aliviar o estresse ou para se consolar?
  • Você se sente enojado ou envergonhado depois de comer?
  • Você se sente impotente de parar de comer, mesmo que você queira?

Quanto mais “sim” tiver em suas respostas, mais provável é que você tenha transtorno alimentar compulsivo.

Causas e efeitos

Frequentemente, uma combinação de coisas leva ao desenvolvimento do transtorno alimentar compulsivo – incluindo seus genes, emoções e experiência.

Fatores de risco social e cultural. A pressão social para ser magro e em forma pode aumentar a sensação de estar acima do peso. Alguns pais, inconscientemente, preparam o cenário que podem levar compulsão alimentícia, usando comida para consolar, agradar  ou recompensar seus filhos. Crianças que estão expostas a comentários críticos frequentes sobre seus corpos e peso também são mais vulneráveis, assim como aqueles que foram abusados ​​sexualmente na infância.

Fatores de risco psicológico. Depressão e compulsão alimentar estão sempre fortemente relacionados. Muitos comedores compulsivos estão deprimidos ou já estiveram antes; outros podem ter problemas com controle de impulsos e controlar e expressar seus sentimentos. A baixa auto-estima e a insatisfação corporal também podem levar a compulsão alimentar.

Fatores de risco biológico. Algumas anormalidades biológicas podem contribuir para a compulsão alimentar. Por exemplo, o hipotálamo (a parte do seu cérebro que controla o apetite) pode não estar enviando mensagens de forma sobre fome e saciedade. Os pesquisadores também indicaram uma mutação genética que parece causar dependência alimentar. Finalmente, há evidências de que níveis baixos da serotonina química do cérebro tenham um papel na compulsão alimentar.

Efeitos do transtorno de compulsão alimentar

A compulsão alimentar pode levar a uma grande variedade de problemas físicos, emocionais e sociais. Você é mais propensos a sofrer problemas de saúde, estresse, insônia e pensamentos suicidas do que alguém que não tem o transtorno alimentar. Você também pode sentir depressão, ansiedade e abuso de substâncias, bem como um aumento significativo de peso.

Por mais sombrio que isso pareça, muitas pessoas podem se recuperar totalmente do transtorno de compulsão alimentar e reverter os efeitos não saudáveis. Você também pode. O primeiro passo é reconsiderar sua relação com alimentos.

Dica 1: Desenvolva uma relação mais saudável com alimentos

Compulsão alimentar - Sintomas, tratamento e ajuda

A recuperação de qualquer dependência é sempre desafiadora, mas pode ser especialmente difícil superar os casos compulsão alimentar e a dependência alimentar. Ao contrário de outros vícios, sua “droga” é necessária para a sua sobrevivência, então você não tem a opção de evitá-la ou substituí-la. Em vez disso, você precisa desenvolver uma relação mais saudável com a comida – um relacionamento que é baseado em atender suas necessidades nutricionais, e não as suas falhas emocionais. Para fazer isso, você deve interromper o ciclo de compulsão:

Evitando a tentação. Você é muito mais propenso a comer demais se você tiver comida não saudável por perto, como sobremesas e lanches. Remova a tentação limpando sua geladeira e armários de seus alimentos compulsivos favoritos.

Ouvindo seu corpo. Aprenda a diferenciar entre fome física e emocional. Se você comeu recentemente, provavelmente você não está realmente com fome. Dê o tempo de desejo para passar.

Concentrando-se no que você está comendo. Com que frequência você entrou em um estado de quase trance, sem nem mesmo sentir o gosto do que está consumindo? Em vez de comer sem pensar, seja um comedor atento. Desacelere e experimente as texturas e os sabores de todas as comidas. Não só você vai comer menos, você vai gostar mais de comer.

Comer regularmente. Não espere até ficar com muita fome. Isso só leva a comer em excesso! Fique atento às refeições programadas, pois pular as refeições geralmente leva a compulsão mais tarde no dia.

Não evite totalmente a gordura. Ao contrário do que você pensa, a gordura na dieta pode realmente evitar a fome. Tente incorporar gordura saudável em cada refeição para mantê-lo satisfeito e cheio.

Lutar contra o tédio. Em vez de beliscar algo quando você está entediado, distraia-se. Dê uma volta, ligue para um amigo, leia ou aproveite um hobby, como pintura ou jardinagem.

A importância de decidir não fazer dieta

Depois de uma compulsão, é natural sentir a necessidade de entrar em uma dieta para compensar o excesso de comida e voltar a prestar atenção a sua saúde. Mas a dieta geralmente não é eficaz. A privação e a fome que vem com uma dieta rigorosa desencadeiam maiores desejos de alimentos e o desejo de comer demais.

Em vez de fazer dieta, tenha como foco comer com moderação. Encontre alimentos nutritivos que você aproveite e coma apenas até sentir que não sente mais fome, não desconfortável ou saciado. Evite proibir ou restringir certos alimentos, pois isso pode fazer você desejar ainda mais. Em vez de dizer “Eu nunca mais vou comer sorvete”, diga: “Vou comer sorvete como um deleite ocasional”.

Dica 2: Encontre melhores maneiras de alimentar seus sentimentos

Uma das razões mais comuns para a compulsão alimentar é uma tentativa de controlar suas emoções desagradáveis, como estresse, depressão, solidão, medo e ansiedade. Quando você passa por um dia ruim, pode parecer que a comida é sua única amiga nesse momento. A ingestão excessiva pode fazer com que os sentimentos como o estresse, a tristeza, a ansiedade, a depressão e o tédio sumam. Mas o alívio é muito rápido e não vale a pena.

Identifique seus gatilhos com um diário de alimentação e humor

Uma das melhores maneiras de achar os padrões por trás da compulsão alimentar é manter um diário alimentar e de humor. Toda vez que você comer demais ou se sente atentado a comer algum alimento que pode desencadear a compulsão, pare e pense um momento para descobrir o que desencadeou o impulso. Se você voltar atrás, você geralmente encontrará um evento perturbador que estimulou a compulsão.

Escreva tudo no seu diário de alimentação e humor: o que você comeu (ou mesmo queria comer), o que aconteceu por te incomodar, como você se sentiu antes de comer, o que sentia enquanto estava comendo e como se sentiu depois de comer. Ao longo do tempo, você verá um padrão aparecer.

Aprenda a tolerar os sentimentos que desencadeiam a compulsão alimentar

Na próxima vez que você sentir o desejo de comer demais, em vez de ceder, pare por um momento para analisar o que está acontecendo dentro.

Identifique a emoção que você está sentindo. Faça o seu melhor para nomear o que está sentindo. É ansiedade? Vergonha? Sem esperança? Tristeza? Raiva? Solidão? Medo? Vazio?

Aceite a experiência que você está tendo. Evitar e resistência apenas realçam as emoções negativas. Em vez disso, tente aceitar o que você está sentindo sem julgá-lo ou você mesmo.

Desconecte-se. Perceba que não são seus sentimentos fixos. Emoções sempre passam em pouco tempo, de fato, elas não definem quem você é.

Encarar  seus sentimentos pode ser extremamente desconfortável no início. Talvez até impossível. Mas quando você resiste ao desejo da compulsão, você começará a perceber que você não precisa ceder. Existem outras maneiras de lidar com o desejo. Mesmo as emoções que se sentem intoleráveis ​​são apenas temporárias. Eles passarão rapidamente se você parar de lutar contra eles. Você ainda está no controle da sua vida. Você pode escolher como responder.

Dica 3: Controle de desejos

Mesmo quando você está preso a um impulso aparentemente irresistível e incontrolável, há coisas que você pode fazer para ajudar a manter o controle dos seus atos.

Distrair-se. Qualquer coisa que envolva sua atenção irá funcionar: fazer uma caminhada, chamar um amigo para passear, assistir algo engraçado online, etc. Uma vez que você se interessar por algo mais fora desse mundo, o desejo de compulsão poderá desaparecer.

Fale com alguém. Quando você começa a receber o desejo de compulsão, abra um dialogo com um amigo ou familiar que você confia. Compartilhar o que você está sentindo pode ajudá-lo a se sentir melhor e a liberar o desejo de compulsão.

Dica 4: Apoie-se em hábitos de vida saudáveis

Quando você é fisicamente forte, relaxado e bem descansado, você é mais capaz de lidar com as tentações que a vida inevitavelmente lança no seu caminho. Mas quando você já está exausto e oprimido, qualquer pequeno soluço tem o potencial de mandar você para fora dos trilhos e diretamente em direção à geladeira. Exercício, sono e outros hábitos de vida saudáveis ​​irão ajudá-lo a passar por momentos difíceis sem compulsão alimentar.

Gerencie o estresse. Um dos aspectos mais importantes do controle da compulsão alimentar é encontrar formas alternativas de lidar com o estresse e outros sentimentos esmagadores. Estes podem incluir a meditação, o uso de estratégias sensoriais de relaxamento e a prática de exercícios de respiração simples.

Retire tempo para exercícios regulares. A atividade física pode fazer maravilhas para seu humor e seus níveis de energia, e também é um poderoso redutor de estresse. Os efeitos naturais do exercício do humor podem ajudar a impedir a alimentação emocional.

Dormir o suficiente todas as noites. Quando você não recebe o sono que precisa, seu organismo anseia alimentos açucarados que lhe darão um rápido aumento de energia. A privação do sono pode até levar a dependência alimentar. Descansar bastante irá ajudar com o controle do apetite e reduzirá os desejos de comida e apoiará seu humor.

Conecte-se com os outros. Não subestime a importância de relacionamentos próximos e atividades sociais felizes. Você é mais provável de sucumbir aos desencadeantes compulsivos se você não possui uma sólida rede de suporte.

Compulsão alimentar - Sintomas, tratamento e ajuda

Como ajudar alguém com transtorno de compulsão

Uma vez que os compulsivos geralmente tentam esconder seus sintomas e comer em segredo, pode tornar difícil para a família e os amigos reconhecer os sinais de alerta. E você também não consegue identificar uma pessoa com fome por aparência, também. Enquanto alguns têm sobrepeso ou obesidade, outros conseguem manter um peso normal.

Os sinais de alerta que você pode detectar incluem encontrar pacotes de alimentos vazios, armários e refrigeradores que foram limpos ou escondidos ricos em alta calorias. Se você suspeita que o seu ente querido sofra de transtorno alimentar compulsivo, traga suas preocupações. Pode parecer assustador começar uma conversa tão delicada, e a pessoa pode negar, ficar embaraçada ou se tornar irritada e defensiva. Mas há uma chance de ele ou ela ter a oportunidade de compartilhar a luta.

Se a pessoa negar no início, não desista; Pode levar algum tempo até que seu ente querido esteja disposto a reconhecer ter um problema. E lembre-se: por mais difícil que seja saber que alguém que você ama possa ter um transtorno alimentar, você não pode forçar alguém a mudar seu comportamento. A decisão de buscar a recuperação deve vir deles. Você pode ajudar, oferecendo  compaixão, encorajamento e apoio ao longo do processo de tratamento.

***************************************************************

Propaganda

A Espirulina ou Spirulina é um tipo de alga (cianobactéria) que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Apresentam em sua composição vitaminas, sais minerais, clorofila A, carotenóides, fenilalanina, entre outras substâncias ativas.
Espirulina é uma alga microscópica azul esverdeada composta por uma única célula e que torna a luz solar em energia ativa.
Evidências científicas relacionam o uso de Spirulina com a inibição do apetite, sustentadas na possibilidade de que a fenilalanina (precursor da norepinefrina) possa agir no sistema nervoso central, inibindo o apetite; também devido à capacidade que estas algas têm de absorver água, aumentando a sensação de estômago cheio. Artigos publicados na literatura sugerem que outras substâncias encontradas na espirulina, como biotina e ferridoxina podem promover a desintoxicação do organismo, porque auxiliam na eliminação de CO2. Para mais informações, clique aqui.

Indicações da Espirulina 
• Suplemento dietético;
• Auxiliar em regimes de emagrecimento;
• Evita a desnutrição;
• Grandes atividades psíquicas e físicas;
• Combate gastrites, úlceras gastroduodenais e desconfortos estomacais;
• Auxiliar nos regimes de emagrecimento;
• Promove sensação de saciedade;
• Fonte de vitaminas e minerais. 

 

 

************************************************************

Dicas para ajudar alguém com transtorno de compulsão alimentar

Incentive-o a procurar ajuda profissional. Quanto mais tempo um distúrbio alimentar não for diagnosticado e não for tratado, mais difícil será superar, então exortar o seu amado a obter tratamento.

Seja solidário. Tente se atentar a um julgamento e certifique-se de que a pessoa sabe que se importa. Se o seu ente querido deslizar na estrada para a recuperação, lembre-os que não significa que eles não podem deixar de compulsão alimentar para o bem.

Dê um bom exemplo comendo de forma saudável, exercitando e gerenciando o estresse sem alimentos. Não faça comentários negativos sobre seu próprio corpo ou de qualquer outra pessoa.

Durante a adolescência, o corpo exige nutrientes extras para sustentar o crescimento muscular e osso. Então, se você passar por fases onde você sente comer mais às vezes, geralmente é esse o motivo.

Mas a compulsão alimentar é diferente do aumento do apetite típico ou excesso de comer durante os feriados. Pessoas com um problema de compulsão comer regularmente comem muito mais comida do que eles de fato precisam. Muitas vezes, comem rapidamente, comem quando estão estressadas ou mesmo chateadas (em vez de apenas com fome) e fazem outras coisas enquanto comem (como assistir TV ou fazer tarefas domésticas). Eles não param de comer quando estão cheios.

As pessoas que compulsão alimentar geralmente estão com excesso de peso, porque eles recebem muitas calorias do que seus corpos podem usar. Como resultado, eles podem se sentir mal, sentem que eles não têm autocontrole e ficam infelizes com seu peso, forma ou imagem corporal.

O desejo de comer envolve mais do que apenas comer muito. Pessoas com esse problema não querem estar acima do peso. Eles desejam que possam ser magros e saudáveis. Muitas vezes as pessoas que compulsão alimentada sentem mal entendidas. Não é tão fácil quanto os outros pensam em deixar de comer. Com bingeing, uma pessoa se sente fora de controle e impotente para parar de comer enquanto faz isso. É por isso que a compulsão também é chamada de excesso compulsivo.

As emoções muitas vezes desempenham um papel. Pessoas com um problema de compulsão podem comer demais quando se sentem estressadas, chateadas, feridas ou com raiva. Muitos acham que é reconfortante e reconfortante comer. Mas depois de uma compulsão, as pessoas podem se sentir culpadas e terríveis com a comida fora de controle.

A ingestão excessiva é muitas vezes uma maneira misturada de lidar ou evitar emoções difíceis. Geralmente, as pessoas que compulsão alimentar não estão conscientes do que os leva a comer demais.

Por que algumas pessoas sofrem de compulsão alimentar ?

A maioria dos especialistas acreditam que é preciso uma combinação de alguns fatores para levar a um transtorno alimentar – incluindo genes, emoções e comportamentos de uma pessoa (como padrões irregulares de alimentação) aprendidos durante a infância.

Algumas pessoas podem ser mais propensas a comer de forma exagerada por razões biológicas. Por exemplo, o hipotálamo (a parte do cérebro que regula o apetite) pode deixar de enviar mensagens adequadas sobre o estado de fome e plenitude. E a serotonina, um produto químico cerebral normal que regula o humor e alguns comportamentos compulsivos, também pode ter um papel na compulsão alimentar.

Na maioria dos casos, os hábitos de excesso de alimento pouco saudáveis ​​que ajudam a formar a compulsão alimentar começam durante a infância. Esses hábitos podem ser o resultado de comportamentos alimentares falhos aprendidos na família.

É normal atrelar os alimentos com os sentimentos, mas às vezes o alimento é usado de forma exagerada como uma forma de acalmar ou confortar. Quando este é o caso, as crianças podem chegar a adolescência com o hábito de comer demais para se acalmar quando se sentem estressadas. Eles fazem isso porque talvez não tenham aprendido outras maneiras de lidar com o estresse de forma correta.

Algumas crianças podem se desenvolver acreditando que sentimentos infelizes ou perturbadores devem ser suprimidos e podem usar alimentos para acalmar essas emoções. Algumas pessoas sentem que a quantidade e os alimentos que eles comem é a única coisa que controlam quando a vida parece difícil ou mesmo traumática.

É difícil reconhecer quantos adolescentes podem ter um problema de compulsão. Tanto os meninos quanto as meninas podem sofrer de transtorno alimentar compulsivo. Mas porque as pessoas muitas vezes se sentem culpadas ou mesmo envergonhadas por comer muito, muitos não falam sobre isso ou procuram ajuda. As pessoas também podem ter excesso de peso, mesmo sem ter um problema de compulsão.

Sinais de um problema de compulsão compulsiva

Pessoas com um problema de compulsão podem ainda:

  • ter uma compulsão alimentar pelo menos uma vez por semana, durante 3 meses
  • comer de forma muito mais rapida do que outras pessoas
  • comer até sentir-se desconfortável ou mesmo até sentir dor
  • comer exageradas quantidades de comida, mesmo quando eles não estão fisicamente com fome
  • comer de forma solitária, porque está envergonhado com o que ou o quanto eles estão comendo
  • sentir-se chateado com a compulsão alimentar (por exemplo, com vergonha ou culpa)

Conseguindo ajuda

Pode ser complicado para muitas pessoas com problemas de compulsão alimentar buscar ajuda, por causa de como a sociedade pensa sobre comer demais e sobrepeso. Muitas pessoas não começam o tratamento para compulsão alimentar até serem adultos tentando perder peso. Mas ter a ajuda profissional como adolescente pode realmente auxiliar as pessoas a desenvolver técnicas de gerenciamento de estresse excelentes e diminuir o risco de problemas de saúde a longo prazo.

Pessoas com transtornos alimentares necessitar de ajuda profissional, porque problemas como compulsão alimentar podem ser causados ​​por falhas na química cerebral e outras coisas que parecem além do controle do paciente. Médicos, conselheiros e especialistas em nutrição muitas vezes trabalham de forma conjunta para ajudar aqueles com distúrbios alimentares a gerenciar sua alimentação, peso e sentimentos.

Parte de lidar com um transtorno alimentar é começar a ter um relacionamento saudável com os alimentos. Especialistas em nutrição  podem ajudar os adolescentes e suas famílias a se educarem sobre alimentação saudável, necessidades nutricionais, tamanho das porções, metabolismo e ainda exercícios físicos. Eles também podem ajudar a desenvolver um plano de alimentação especialmente projetado para as necessidades de alguém, e ajudar a pessoa a se manter no tratamento e fazer progresso.

Psicólogos e outros terapeutas podem ajudar os adolescentes e as famílias a se educarem sobre maneiras saudáveis ​​de lidar com emoções, pensamentos, estresse e outras coisas que possam levar ao problema de compulsão alimentar.

Dependendo do que está causando a compulsão física, os médicos podem indicar remédios junto com conselhos de terapia e nutrição.

Pessoas com transtorno alimentar compulsivo podem achar útil ainda cercar-se com familiares e amigos de apoio. É melhor evitar pessoas que possam fazer comentários negativos sobre comer ou seu peso, porque podem trazer sentimentos de auto-crítica de alguém, piorando as coisas.

Às vezes, outros membros da família ou amigos não estão preparados para lidar com seus próprios problemas alimentares. Eles podem se preocupar com um adolescente que está comendo de forma exagerada. É importante que alguém com transtorno alimentar compulsivo se sinta fortalecido em sua decisão de viver um estilo de vida mais saudável.

Outra coisa que pode auxiliar a construção da autoconfiança e desviar a atenção da pessoa de comer tanto é tentar uma nova atividade extracurricular ou hobby. Encontrar uma maneira de colocar para fora os sentimentos, como através da música, arte, dança ou escrita, também pode ajudar uma pessoa a criar novas técnicas novas e tarefas saudáveis ​​de hábitos e gerenciamento de estresse.

Pode demorar um pouco para voltar a se alimentar de forma saudável, mas vale a pena o investimento em sua saúde física e emocional a longo prazo. Assim como pode fortalecer qualquer outra habilidade, às vezes você precisa do apoio de um terapeuta, treinador, treinador e família ou amigos para chegar onde você precisa estar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here