Como ocorre o inchaço?

A inchaço ocorre no abdômen ( chamado também de estômago). Quando você está inchado, você sente como se tivesse devorado uma grande refeição,  e que não há mais espaço no estômago. Essa sensação pode ser dolorosa ou mesmo desconfortável. Seu estômago pode parecer maior do que é. Pode tornar sua roupa muito mais apertada.

Sintomas do inchaço

Os sintomas incluem dor de estômago, desconforto e também gases. Pode ocorrer juntamente com outros sintomas graves, tais como:

  • Sangue em suas fezes.
  • Perda de peso notável (sem ter mudado sua rotina).
  • Hemorragia vaginal (entre os seus períodos menstruais, ou se você está na pós-menopausa).
  • Náusea constante.
  • Vômitos constante.
  • Febre alta (devido a uma infecção).

Se você tiver estes sintomas, consulte o seu médico o mais rápido possível.

 

O que geralmente causa o inchaço?

O inchaço pode ser causado por algo simples, como um alimento que você come de forma muito rápida ou mesmo intolerância à lactose (problemas em digerir os produtos lácteos). Outras razões simples incluem:

  • Engolir ar (o que pode acontecer quando você mastiga chiclete).
  • Prisão de ventre por alguns dias.
  • Comer de forma exagerada.
  • Comer de forma muito rápida.
  • Refluxo (GERD).
  • Síndrome do intestino irritável (uma condição grave).
  • Ganho de peso (sem alterar a rotina).
  • Menstruação pesada (em algumas mulheres).

Causas mais graves incluem:

  • Uma infecção.
  • Inflamação (como uma condição chamada diverticulite).
  • Doença inflamatória pélvica (PID).
  • Doença do fígado (acumulação anormal de líquido no estômago ou pelve).
  • Doença de Crohn.
  • Bloqueio no intestino ou na bexiga.
  • Vários tipos de Câncer (ovário, uterino, cólon, pancreático, estômago).

Alguns medicamentos usados ​​para tratar diabetes também podem causar inchaço, sempre informe ao seu médico.

Como o inchaço é diagnosticado?

Seu médico geralmente pode diagnosticar a causa do seu inchaço através de um exame físico no próprio consultório. Ele também irá fazer perguntas sobre outros sintomas. O seu médico irá questionar se o seu inchaço é ocasional ou se ocorre o tempo todo.

O inchaço temporário geralmente não é considerado grave. Se acontecer o tempo todo, seu médico pode solicitar um teste de imagem, como uma radiografia ou tomografia computadorizada, para analisar dentro do estômago. Se os testes de imagem mostrarem um bloqueio, você irá precisar de uma biópsia para provar essa condição. Isso envolve a inserção de um certo tipo de agulha no bloqueio para coletar uma amostra de tecido do seu corpo. Dependendo da causa do bloqueio, uma cirurgia pode ser necessária para removê-lo de forma segura.

Pode evitar-se ou prevenir o inchaço?

Há muitas maneiras de prevenir e evitar inchaço, incluindo:

  • Evite os alimentos que são conhecidos por causar gases, incluindo repolho, couves de Bruxelas, nabos, todos os tipos de feijões e lentilhas.
  • Evite mastigar chiclete durante longos períodos de tempo.
  • Reduza ou evite beber bebidas carbonatadas (como o refrigerante e água com gás).
  • Reduzir ou evitar comer e beber alimentos e bebidas que incluem frutose ou sorbitol na sua fórmula. Os edulcorantes artificiais são frequentemente encontrados em alimentos sem açúcar.
  • Coma de forma devagar.
  • Coma mais alimentos ricos em fibras para evitar o quando possível a constipação. Se os alimentos sozinhos não ajudam, considere tomar um suplemento de fibra.
  • Pergunte ao seu médico sobre medicamentos que podem ser comprados sem receita médica que aliviam o gás e o inchaço.
  • Evite produtos lácteos se perceber que eles causam gás e inchaço, e seus derivados.

Tratamento de inchaço

Para o inchaço temporário, pergunte ao seu médico sobre medicamentos sem receita médica que aliviam o gás e o inchaço de forma eficiente. Os probióticos (como o iogurte e o kefir) e certos ingredientes à base de plantas podem aliviar seu desconforto também. Os ingredientes à base de plantas incluem hortelã e chá de camomila, anis, alcaravia, coentro, erva-doce e açafrão. Se o seu inchaço é causado por algo mais grave, seu médico tratará a causa subjacente, e os sintomas irão desaparecer.

Vivendo com inchaço

Viver com inchaço pode ser muito desconfortável. Você pode ter dor no estômago ou apenas uma sensação de inchaço. Quando isso afeta a forma como suas roupas se encaixam no seu corpo, pode ser frustrante. Se o seu inchaço for constante, não sofra desnecessariamente. Consulte o seu médico o mais rápido possível para determinar se a causa do inchaço é algo mais grave.

Perguntas ao seu médico

  • Preciso realizar um teste para diagnosticar a intolerância à lactose ?
  • Por que certos alimentos agora causam inchaço?
  • O que posso fazer se eu for diabético e meus remédios ou adoçantes artificiais causam inchaço? Quais os substitutos?

A dor abdominal e o inchaço geralmente resultam quando o trato gastrointestinal (GI) está com mais gás ou ar do que o habitual. É frequentemente descrito como uma sensação de plenitude, rigidez ou inchaço extremo na região abdominal. O abdome também pode ficar duro e dolorido ao toque. Outros sinais comuns de inchaço abdominal incluem arrotos, soluços e ou roncos abdominais.

A dor abdominal por ter um estômago inchado é tão comum que alguns chegam a classificá-la como uma epidemia, já que afeta 10% a 30% das pessoas hoje em dia. Estresse, exposição a vários poluentes e uma dieta pobre estão entre as causas mais prováveis do inchaço abdominal. Como resultado, as pessoas com distensão abdominal tiram costumam faltar mais no trabalho, tomam mais medicamentos e visitam o médico mais frequentemente do que outras.

Sinais e Sintomas de Inchaço Abdominal

Dor abdominal e inchaço são considerados dois sintomas diferentes, que geralmente ocorrem juntos. Dito isto, é provável que você sinta os dois ao mesmo tempo. Esses sintomas se referem à dor e/ou distensão sentida sob a cavidade gastral, também chamados de região abdominal inferior e superior.

É importante notar que um estômago inchado não está diretamente relacionado a ganhar massa gorda (gordura) ao redor do estômago ou retenção de água. É causada principalmente por ar que está temporariamente preso ao redor do abdômen.

Você pode experimentar esse sintomas, considerados os mais comuns quando se trata de inchaço abdominal:

  • Sinais de uma reação alérgica (ou seja, coceira na garganta, urticária na pele ou erupções cutâneas ou mesmo olhos lacrimejantes
  • febre
  • Náusea ou vômito constantes
  • Diarréia, constipação ou dificuldade para ir ao banheiro de forma rotineira
  • Perda de peso inexplicável (sem alterar a sua rotina)
  • Fezes ou urina com sangue visíveis
  • Aparecimento de hemorróidas
  • Névoa do cérebro
  • Fadiga
  • Períodos menstruais irregulares
  • Linfonodos inchados e doloridos na garganta, axilas ou mesmo na virilha

Causas de inchaço e dor abdominal mais comuns

Em alguns casos, a dor abdominal e o inchaço não são motivos de preocupação sérios, e muitas vezes podem ser aliviados com mudanças simples na dieta e no estilo de vida do paciente. Outras vezes, o inchaço abdominal pode ser um sinal de algo mais sério e, portanto, mais ações são necessárias para tratar a raiz do problema e possivelmente descobrir outras condições.

Dor e inchaço abdominal - Sintomas, causas e tratamentos O inchaço geralmente é um problema que ocorre durante a digestão , e muitas coisas podem afetar a saúde intestinal e também a capacidade do corpo de metabolizar adequadamente os alimentos e eliminar o desperdício.

O gás é considerado a causa mais comum de inchaço conhecido, especialmente depois de comer uma refeição mais pesada ou de beber muito rápido. O gás se acumula no trato gastrointestinal, quando você engole ar ou quando a comida não digerida é quebrada de forma eficiente.

O gás excessivo é geralmente devido à digestão inadequada de proteínas, desequilíbrios nas bactérias intestinais e também pela incapacidade de decompor completamente carboidratos e açúcar.

 

1. intolerância à lactose desconhecida

A intolerância à lactose é uma condição digestiva, na qual o organismo é incapaz de digerir a lactose de forma correta – que é o açúcar encontrado com frequência no leite e nos laticínios. Os sintomas incluem uma dor abdominal e inchaço, gases, diarréia, um barulho no estômago, náuseas constantes, vômitos, enxaquecas pesadas e dores de cabeça.

Os sintomas se desenvolverão dentro de algumas horas após o consumo de bebidas ou alimentos que contenham lactose, sendo que a gravidade dependerá da tolerância pessoal e da quantidade de lactose consumida naquele período.

É importante notar também que nem todos os produtos lácteos causam sintomas desagradáveis, pelo contrário. Por exemplo, o kefir ou iogurte contém culturas ativas que no caso ajudam a quebrar a lactose antes do consumo.

2. Refluxo ácido

O refluxo ácido, nome popular para a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e azia, é uma sensação de dor ou queimação causada pelo ácido que vai do estômago para o esôfago e para a garganta.

A condição pode resultar da gravidez, da hérnia de hiato, de uma dieta pouco saudável, da má absorção de carboidratos, de um sistema digestivo subdesenvolvido, de fumar cigarros e ainda de tomar certos medicamentos como antibióticos ou ibuprofeno e suplementos como ferro ou potássio.

Os sintomas incluem azia, náuseas, fezes pretas, um gosto amargo constante na boca, perda de peso sem alteração da rotina, de uma dor que começa na parte superior do abdome e se espalha para o pescoço e/ou garganta e ainda dor abdominal após comer.

3. Constipação

A constipação é um problema desconfortável quando a pessoa tem dificuldade em esvaziar os intestinos de forma correta. A dificuldade de passar fezes é um sinal chave de constipação, geralmente causado por um movimento mais lento do que o normal de resíduos alimentares no trato gastrointestinal.

Uma pessoa também pode ser considerada que tem problemas na constipação quando produz menos de três evacuações (idas ao banheiro) por semana.

A constipação está entre as causas mais comuns de inchaço abdominal grave e dor abdominal constante. Outros sintomas incluem obstrução intestinal, vômitos, gases, perda de apetite e mal-estar após as refeições.

4. Obstrução Intestinal

Na digestão normal, as partículas de alimento devem passar de forma lenta e constante pelo intestino.

Embora os resíduos digestivos estejam sempre em movimento, uma obstrução intestinal pode causar a interrupção da digestão normal, gerando um bloqueio no intestino delgado ou grosso. Isso evita que fluidos e alimentos digeridos passem de forma correta.

A obstrução intestinal poderá causará uma variedade de sintomas desconfortáveis, incluindo dor abdominal e também inchaço, constipação, diarréia, cólicas abdominais severas, inchaço abdominal, náusea, vômito, perda de apetite e incapacidade ir ao banheiro de forma eficiente.

A condição é considerada com risco de vida e grave, portanto, é necessária uma cirurgia de emergência.

5. Dispepsia ou estômago agitado

A dispepsia também é chamada de indisposição estomacal e/ou indigestão. É uma condição caracterizada por uma sensação dolorosa ou que causa queimação na região abdominal superior ou no estômago.

Os sintomas mais comuns da dispepsia incluem dor abdominal, inchaço, cãibras no estômago, barulhos no estômago, náusea e vômito, gases e eructações, constipação, diarréia e sensação de queimação no estômago de forma constante ou na parte superior do abdômen.

6. Gastroenterite Viral (Gripe Estomacal)

A gripe estomacal também é chamada de gripe gástrica ou gastroenterite viral. É causada por vários vírus, incluindo enterovírus, astrovírus, norovírus e rotavírus.

É contagiosa e muitas vezes transmitida através da contaminação da água, lavagem inadequada das mãos e consumo de mariscos mal cozidos ou crus.

A maioria das pessoas se recuperará sem complicações da gastroenterite viral; no entanto, a gripe estomacal pode ser mortal em outras com sistemas imunológicos fracos e em alguns adultos mais velhos.

Os sintomas mais comuns incluem dor abdominal e inchaço, cãibras, náuseas e vômitos, fezes aquosas, perda de apetite, dores de cabeça agudas, febre baixa e dores musculares com fadiga.

7. Síndrome Pré-Menstrual (TPM)

A síndrome (ou tensão) pré-menstrual (TPM) é uma condição que ocorre uma semana ou duas antes do período menstrual da mulher. Ela afeta até 85% das mulheres que menstruam e produzem uma ampla gama de sintomas psicológicos e fisiológicos.

A gravidade dos sintomas pode variar a cada período menstrual e entre diferentes mulheres. Os sintomas mais comuns da TPM incluem dor abdominal, inchaço abdominal, sensibilidade nos seios, constipação, diarréia, acne, fadiga, irritabilidade, tristeza, ansiedade, depressão, confusão mental e explosões emocionais.

8. Doença Celíaca

A doença celíaca é uma doença digestiva auto-imune desencadeada pela alergia a uma proteína chamada glúten, que é encontrada no trigo, cuscuz, cevada, espelta, centeio, semolina e outros grãos.

A doença é rara e afeta cerca de um por cento dos adultos. Isso danificará o intestino delgado e interferirá também na absorção de nutrientes.

Seus sintomas geralmente incluem dor abdominal e inchaço, cólicas, diarréia, constipação, fadiga crônica, anemia ou outras alterações de peso sem alteração da rotina, problemas de concentração, problemas de sono, dores de cabeça crônicas e constantes, dores nos ossos ou articulações, convulsões, alterações de humor sem causas aparentes, uma pele sem brilho e dormência nos pés e mãos e aftas dentro da boca.

9. Intolerância ao Glúten

Uma pessoa pode reagir ao glúten mesmo sem ter doença celíaca. Isso é o que é chamado de intolerância ao glúten ou sensibilidade ao glúten não celíaca (NCGS). Essas pessoas não têm a doença celíaca em sí, mas se sentem melhor quando consomem uma dieta sem glúten.

As pessoas com intolerância ao glúten resultarão em um teste negativo para doença celíaca, apesar de terem sintomas semelhantes.

Um estudo publicado na revista BMC Medicine em 2014 mostrou que 87% das pessoas com suspeita de NCG tinham inchaço como um dos sintomas. Outra pesquisa mostra que até 83% das pessoas com intolerância ao glúten experimentam dor abdominal após o consumo de glúten de forma constante.

Outros sintomas importantes incluem diarréia, constipação, fezes mal-cheirosas, fadiga, depressão, ansiedade, anemia, nevoeiro cerebral, dor nas articulações e nos músculos e perda de peso sem alteração da rotina.

10. Hérnia Hiatal

Hérnia de hiato ocorre quando a parte do estômago empurra, através de um ponto fraco, o músculo diafragma.

Os sintomas de hérnia de hiato são frequentemente sem dores e podem passar despercebidos em alguns casos. No entanto, grandes hérnias hiatais causam outras condições e complicações constantes, como a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).

Os sintomas podem incluir náusea, vômito, arrotos excessivos , azia, sensação de inchaço após a ingestão de refeições de tamanho médio, gosto amargo na boca e dificuldade para engolir após a refeição.

11. Infecção por H. Pylori

A bactéria Helicobacter pylori (H. pylori) está presente no trato digestivo e as vezes pode atacar o revestimento do estômago.

Cerca de 66% da população mundial é afetada pelo H. pylori, e possuir as bactérias em seu corpo pode aumentar o risco de câncer gástrico em até seis vezes.

A maioria das pessoas com infecção por H. pylori não apresenta sintomas constantes; em outros, a infecção produzirá inchaço e dor abdominal, especialmente algumas horas após as refeições mais pesadas do dia.

Outros sintomas podem incluir náuseas, vômitos, arrotos, azia, febre, falta de apetite e perda de peso inexplicável, sem motivo aparente. O H. pylori também é a causa de outros problemas digestivos, como gastrite e úlceras pépticas.

12. Cólica

A cólica é vista em bebês de zero a três meses de idade. A fermentação intestinal junto com o pâncreas e sistema digestivo ainda imaturos nos bebês podem levar a problemas intestinais, como gases , câimbras e um abdômen endurecido e com dores.

Outros sintomas incluem diarréia, agitação, inquietação das pernas ou gases repentinos. Seu bebê também pode chorar por três ou mais horas por dia, três ou mais vezes por semana, durante pelo menos um período de três semanas.

13. IBS

A síndrome do intestino irritável (SII) também é conhecida como colite espástica, cólon espástico, colite mucosa e cólon irritável.

IBS é classificado como um sintoma digestivo comum, que muitas vezes acontecem ao mesmo tempo e incluem dor abdominal, dores, cólicas, inchaço do estômago, náuseas, azia, gás, arrotos, constipação, diarréia e mudanças na aparência de fezes.

Sintomas como gases e inchaço geralmente somem após um movimento intestinal bem sucedido. Para algumas pessoas, os sintomas da SII pode melhorar, e voltar a ocorrer dentro de um dia ou dois. Cerca de 10% a 20% da população adulta experimentará alguma síndrome.

14. Diverticulite

A diverticulite é uma condição que ocorre depois que uma ou mais bolsas, ou sacos, chamados de divertículos se rompem, e uma inflamação e infecção se estabelecem em torno dessas bolsas.

Os sintomas associados à diverticulite podem incluir dor abdominal, inchaço, cãibras, sensibilidade abdominal, febre, calafrios, diarréia, constipação, náusea, vômito e aumento de glóbulos brancos.

Cerca de 25% dos pacientes com diverticulite também irão desenvolver complicações, como abscessos, infecção ou inflamação do revestimento do abdômen, uma pequena lágrima ou mesmo um buraco em uma bolsa no cólon, ou uma obstrução intestinal.

15. Cisto ovariano

Os cistos ovarianos são sacos cheios de líquido no ovário ou na superfície de um ovário. Os ovários estão localizados no baixo-ventre, em ambos os lados do útero.

Os cistos ovarianos não costumam causar sintomas graves; no entanto, os sintomas podem aparecer quando o cisto se forma. Os sintomas mais comuns incluem inchaço abdominal, rigidez ou sensação de peso em seu abdômen, movimentos dolorosos do intestino, sexo doloroso, sensibilidade aumentada nos seios, náuseas, vômitos e uma dor incômoda ou aguda na parte inferior do abdome do lado do cisto.

16. Infecção por E. coli

A Escherichia coli (E. coli) é frequentemente uma bactéria benéfica ou mesmo inofensiva encontrada nos intestinos de pessoas e animais. Dito isto, certos tipos de E. coli, como E. coli O157: H7, podem causar alguns tipos de infecção.

Os sintomas mais comuns de infecção por E. coli incluem (mas não se limitam a) dor abdominal, cólicas, inchaço, febre, diarréia, fadiga, náusea e ainda perda de apetite. Sintomas mais graves podem incluir desidratação, diarréia com sangue, pele pálida e também insuficiência renal.

Os sintomas da infecção por E. coli irão começar entre 1 e 10 dias depois de ser infectado com a bactéria. Quando os sintomas ocorrem, duram cerca de cinco a dez dias.

17. Cálculos biliares

Os cálculos biliares são pequenos pedaços sólidos de matéria presentes na vesícula biliar – um pequeno órgão abaixo do fígado que armazena um líquido digestivo verde-amarelo, conhecida como bile. A maioria dos cálculos biliares se forma devido ao excesso de colesterol na bile.

Os cálculos biliares podem levar a uma dor aguda no abdômen superior direito, especialmente quando você come alimentos ricos em gordura ou alimentos fritos. A dor durará cerca de poucas horas.

Outros sintomas do cálculo biliar incluirão dor de estômago, dor no ombro direito, náusea, vômito, diarréia, arrotos, soluços, indigestão, fezes escuras e urina escura.

18. Endometriose

A endometriose é um distúrbio doloroso em que o tecido do útero se liga a outros órgãos de forma incorreta. O distúrbio geralmente envolve as tubas uterinas, os ovários e também o tecido da pélvis. Em casos raros, o tecido pode viajar para fora dos órgãos pélvicos, como para a bexiga ou para os pulmões.

Os sintomas da endometriose variam, com algumas mulheres apresentando sintomas leves e outras apresentando sintomas moderados a graves.

Os sintomas comuns da endometriose podem incluir uma dor abdominal baixa, inchaço, cólicas, dor após o sexo, infertilidade, dor com movimentos intestinais e dor lombar que ocorre durante a menstruação.

19. Hérnia

A hérnia acontece quando um órgão empurra através de uma abertura no músculo ou tecido adiposo. Por exemplo, os intestinos podem romper uma área fraca da parede abdominal.

As hérnias são mais comuns no abdômen, mas também ocorrem nas áreas da virilha, umbigo e parte superior da coxa. A maioria das hérnias não é imediatamente fatal; no entanto, eles não vão embora por conta própria e podem necessitar de cirurgia para evitar complicações graves.

Uma protuberância ou nódulo na área afetada é o sintoma mais comum da hérnia. Outros sintomas comuns incluem dor no baixo ventre, fraqueza ou pressão no abdômen, dificuldade para conseguir engolir, dor no peito, refluxo ácido e borbulhamento no estomago, ardor ou sensação de dor na parte de baixo do peito.

20. Infecção do Trato Urinário (ITU)

Uma infecção do trato urinário (ITU) pode ser causada por microrganismos que são pequenos demais para serem vistos sem um microscópio. A E. coli é a principal bactéria responsável pelas ITUs, que também podem ser causadas por alguns fungos e vírus.

Os sintomas da ITU dependerão de qual parte do trato urinário foi infectada.

ITUs inferiores afetam a bexiga e também a uretra, e os sintomas incluem dor pélvica em mulheres, dor ao urinar, maior urgência e frequência de idas ao banheiro, urina com forte odor e ainda dor retal em homens.

UTIs superiores afetam os rins, e os sintomas incluem dor nas costas ou abdominal, calafrios, febre, náusea e vômito.

21. Apendicite

A apendicite é uma inflamação do apêndice que frequentemente ocorre com mais frequência em homens do que em mulheres, principalmente com idades entre 10 e 30 anos.

A condição pode ser aguda ou crônica e, se não for tratada de forma correta, a apendicite pode explodir e levar a uma infecção. Este é um problema sério que às vezes é fatal.

Os sintomas mais comuns de apendicite incluem dor abdominal inferior direita, inchaço abdominal, dor no umbigo, perda de apetite sem motivo, náusea, vômito, constipação, diarréia, febre e incapacidade de expelir gases. Dor na apendicite também pode começar após câimbras leves.

Embora a condição não afete os hábitos intestinais normais, às vezes pode afetar a micção.

22. Colite Ulcerativa

A colite ulcerativa é uma inflamação crônica do cólon. A condição está intimamente associada à uma ocorrência de inflamação dos intestinos – também chamada doença de Crohn. Juntas, a doença de Crohn e a colite ulcerativa são conhecidas como doença inflamatória intestinal (DII).

Em pacientes com colite ulcerativa, úlceras e inflamação do revestimento interno do cólon podem levar a dor abdominal, sangramento retal e diarréia. Outros sintomas da colite ulcerativa incluem dor retal, fezes com sangue, aumento dos sons abdominais, febre, perda de peso e desnutrição.

A colite ulcerativa também pode levar a dor e inchaço nas articulações, problemas de pele, náusea, redução do apetite, inflamação dos olhos e feridas na boca.

23. Gravidez ectópica

Em uma gravidez saudável, o óvulo fertilizado viajará até o útero e se fixará lá. Em uma gravidez ectópica, o óvulo fertilizado não se conectará ao útero e, em vez disso, se conectara à cavidade abdominal, colo do útero ou trompa de Falópio.

Cerca de uma em cada 50 gravidezes são gravidezes ectópicas. Se não for tratada de forma correta, uma gravidez ectópica pode ser uma emergência médica bastante grave.

Dor nas mamas e a ocorrência de náusea são sintomas comuns de gravidez ectópica. Outros sintomas incluem pressão retal; tontura ou desmaio; sangramento vaginal leve; dor abdominal severa unilateral; e ondas agudas de dor na pelve, ombro, pescoço ou mesmo abdome.

24. Doença de Crohn

A doença de Crohn é uma inflamação crônica que ocorre nos intestinos. Pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal, mas é mais comum no final do intestino delgado, chamado íleo, onde se conecta ao cólon.

A condição está intimamente associada à inflamação crônica do cólon. Como observado, a doença de Crohn e a colite ulcerativa são chamadas de doença inflamatória intestinal.

Os sintomas da doença de Crohn podem incluir dor abdominal, diarreia crônica, sangue nas fezes, necessidade de evacuações frequentes, febre, fadiga, perda de apetite, perda de peso, náuseas, gases, mal-estar geral, dores de cabeça, anemia e feridas na boca e no anus.

Os sintomas da doença de Crohn geralmente se desenvolvem gradualmente, e alguns podem piorar com o tempo.

25. Peritonite

A peritonite é uma inflamação do peritônio – que é uma fina camada de tecido que cobre o interior da cavidade abdominal e a maioria dos órgãos conectados ao abdômen. A inflamação é frequentemente causada por uma infecção por fungos ou bactérias, que entram por um buraco ou um vazamento nos intestinos.

A condição pode ser causada por um problema médico subjacente e paralelo, uma lesão abdominal ou um dispositivo de tratamento como um tubo de alimentação ou um cateter de diálise.

A dor abdominal generalizada e a sensibilidade são devidas a um acúmulo de fluidos corporais, sangue e pus no abdômen, o que causa inchaço e dor.

Outros sintomas comuns podem incluir fadiga, febre, calafrios, náuseas, vômitos, perda de apetite sem motivo, diarreia, constipação, falta de ar, sede excessiva, inchaço constante nas pernas e incapacidade de tolerar a ingestão de líquidos, devido à redução da micção e do edema .

Se você estiver com diálise peritoneal, o fluido de diálise pode ter aglomerados ou manchas brancas ou aparecer turvo. Você também pode sentir dor ou ter vermelhidão ao redor do cateter.

26. Giardíase

A giardíase é uma infecção presente no intestino delgado. A causa é um parasita chamado Giardia lamblia. A infecção pode se espalhar através do contato com indivíduos infectados, ao bebe água contaminada ou comendo alimentos contaminados.

Algumas pessoas terão parasitas da Giárdia sem quaisquer sintomas aparentes, e geralmente a giardíase aparecerá uma semana ou duas depois de ser exposta ao corpo.

Os sintomas da giardíase comum incluem dor abdominal e inchaço, cãibras, diarreia, fezes gordurosas, gases excessivos, náuseas, vômitos, fadiga, perda de apetite, perda de peso e dores de cabeça constantes.

Dor e inchaço abdominal - Sintomas, causas e tratamentos

27. Infecção por ancilóstomo

Um ancilóstomo é uma infecção parasitária que é contraída em humanos através de larvas de ancilóstomos encontradas na sujeira contaminada pelas fezes. Ancilostomídeos afetará sua pele, pulmões e intestino delgado.

As infecções por parasitas raramente acontecem, e muitas vezes se desenvolvem em regiões com falta de saneamento. Se você é saudável, você pode não apresentar nenhum sintoma.

Quando você experimenta sintomas de ancilostomíase, eles geralmente começam com uma pequena erupção cutânea junto com coceira. À medida que o ancilóstomo cresce em seu intestino, outros sintomas aparecem, incluindo diarréia, dor abdominal, cãibras, náusea, perda de apetite, sangue nas fezes e febre.

28. Amebíase

Dor abdominal e inchaço podem ser causadas por uma infecção parasitária do intestino chamado amebíase. A amebíase é sempre causada pelo protozoário Entamoeba histolytica (E. histolytica), que muitas vezes entra no corpo quando uma pessoa ingere cistos através de água ou comida, ou tem contato direto com a água fecal.

Essa infecção parasitária é mais comum em países tropicais com saneamento precário, especialmente em partes da África, América do Sul e Central, além do subcontinente indiano.

Os sintomas tendem a aparecer de uma a quatro semanas após a ingestão do parasita; no entanto, apenas cerca de 10% a 20% das pessoas com amebíase irão de fato adoecer.

Os sintomas mais comuns são dor abdominal, cólicas e fezes moles. O cisto também ficará alojado no trato gastrointestinal, onde libera um parasita ativo, o trofozoíto. Uma vez que esses trofozoítos furam as paredes intestinais, eles podem entrar no sangue e viajar para outros órgãos internos, como os pulmões, coração, fígado ou cérebro.

Como resultado, a amebíase pode causar fezes sangrentas, fortes cólicas estomacais, infecções, abscessos e até a morte.

29. Câncer de Estômago

O câncer de estômago também é conhecido como câncer gástrico. É um câncer difícil de diagnosticar porque a maioria das pessoas geralmente não apresenta sintomas no início do câncer. Portanto, o câncer de estômago não será diagnosticado até que se espalhe para outras partes do corpo e também seja difícil de tratar.

Alguns dos sintomas mais comuns do câncer de estômago avançado incluem dor abdominal constante e inchaço, perda de apetite, fezes com sangue, icterícia, fadiga excessiva, azia frequente, náuseas, vômitos e sensação de plenitude depois de comer apenas pequenas quantidades de alimento. Dor de estômago também pode piorar depois de comer as refeições.

30. Câncer De Ovário

O câncer de ovário pode ocorrer em várias partes dos ovários – órgãos reprodutivos localizados em ambos os lados do útero e ao redor do baixo-ventre.

O câncer começará nas células estomacais, germinativas ou epiteliais do ovário. As células epiteliais formam a camada externa do ovário, as células estromais produzem a substância do ovário e as células germinativas se tornam óvulos.

Cerca de 50% de todos os casos de câncer de ovário afetam mulheres que estão com mais de 63 anos.

O câncer ovariano em estágio inicial pode não apresentar sintomas aparentes. Mas alguns sintomas súbitos incluem inchaço frequente, dor ou desconforto abdominal ou pélvico, dificuldade para comer, sentir-se cheio rapidamente, mesmo comendo poucas quantidades de comida e uma necessidade frequente e urgente de urinar.

Se você tiver esses sintomas por mais de duas semanas seguidas, procure ajuda médica imediatamente. Outros sintomas de câncer de ovário podem incluir ainda perda de peso, ganho de peso, constipação, indigestão , dor lombar , fadiga, sangramento vaginal e uma mudança no ciclo menstrual.

31. Fibrose Cística

A fibrose cística é um distúrbio hereditário que perturba a função normal das células epiteliais, que são células que revestem as vias de órgãos que incluem o fígado, os rins, os pulmões e o pâncreas.

Pessoas com fibrose cística apresentam um gene defeituoso que prejudica a função das células epiteliais e causa graves danos aos sistemas digestivo e respiratório.

Os sintomas da fibrose cística dependerão da pessoa, da gravidade da doença, do tempo da doença e dos órgãos afetados. Quando os órgãos digestivos são afetados, os sintomas incluem ainda dor abdominal, perda de apetite, constipação, náusea, fezes fétidas e atraso no crescimento e baixo ganho de peso em crianças.

Quando os pulmões são afetados, outros sintomas incluem soluços, falta de ar, tosse persistente e infecções pulmonares recorrentes e graves.

32. Linfoma não-Hodgkin

O linfoma não-Hodgkin às vezes é simplesmente chamado de linfoma. Este câncer do sistema linfático é o sétimo câncer mais comum no Brasil, com mais de 66.000 novos casos diagnosticados a cada ano.

O linfoma acontece quando os tumores se desenvolvem a partir dos linfócitos – um tipo de glóbulo branco.

Os principais sintomas associados ao linfoma não-Hodgkin incluem (mas não se limitam a) dor abdominal e inchaço, tosse, dor torácica, fadiga, febre, dificuldade respiratória, sudorese noturna, perda de peso e inchaço dos gânglios linfáticos. Sempre entre em contato com seu médico quando esses sintomas persistirem por mais de dois dias.

Quando ver um médico

Quando um estômago inchado e a dor abdominal acontecem devido a um problema grave,  provavelmente irá ocorrer uma série de outros sintomas graves, incluindo diarréia não controlada, sangue nas fezes ou vômitos constante, perda de consciência e evacuação intestinal.

Também é uma boa idéia consultar seu médico se você sentir dor abdominal e inchaço após todas as refeições, mesmo as mais leves, ou com náusea, movimentos intestinais dolorosos, sexo doloroso, perda de peso inexplicável, febre alta e surgimento ou piora da azia.

Se o seu médico realiza um exame físico, eles pode estar suspeitando que uma condição médica é a causa da sua dor abdominal ou inchaço. Seu médico deve, então, realizar certos exames médicos com base nos resultados do exame e no seu histórico médico.

Alguns dos testes mais comuns para o inchaço e dor abdominal incluem um teste de urina para verificar infecções do trato urinário ou outras infecções do trato urinário; uma análise de fezes para verificar anormalidades que podem indicar um problema digestivo; um hemograma completo para detectar perda de sangue ou descartar infecções adjacentes; e um exame de imagem como uma ressonância magnética (ressonância magnética), ultrassonografia, tomografia computadorizada (TC), radiografia simples ou imagem fluoroscópica.

Como tratar o inchaço e a dor abdominal naturalmente

O tratamento do inchaço crônico e da dor abdominal dependerá frequentemente da causa subjacente. Vamos dar uma olhada em várias maneiras de tratar a dor abdominal e inchaço naturalmente.

1. Uma dieta saudável

A dieta desempenha um papel importante no tratamento da dor abdominal e inchaço. Em vez de três grandes refeições, é melhor consumir cinco ou seis pequenas refeições ao longo do dia.

A dieta também deve ser rica em fibras e também rica em vegetais, frutas, sementes, nozes e legumes. Deve-se também evitar laticínios, açúcar e lanches adoçados, grãos refinados, bebidas carbonatadas, café e outras fontes de cafeína e adoçantes artificiais.
Além disso, tenha hábitos alimentares adequados, como comer devagar e mastigar bem a comida, nunca deitar-se diretamente depois de comer e esperar um mínimo de três horas após o jantar antes de ir dormir.

2. Probióticos

Probióticos são boas bactérias presentes no trato digestivo, que ajudam a matar bactérias ruins que podem desencadear problemas digestivos. Um suplemento probiótico é uma boa ideia; no entanto, você também pode adquirir probióticos de alimentos como chucrute; Kimchi; natto; missô; kombucha ; kefir de coco; kefir; e iogurte cultivado a partir do leite de animais alimentados com capim, como vacas, cabras ou ovelhas A2.

3. Mantenha-se hidratado

A fim de ajudar a fibra na dieta a fazer o seu trabalho de forma eficiente, você também deve procurar beber bastante água e outros líquidos saudáveis ​​para aliviar o inchaço abdominal.

Tente consumir pelo menos seis a oito copos de água por dia. Você também pode tentar infundir sua água com frutas como o limão, limão e frutas ou legumes como pepino.
Outros fluidos para mantê-lo hidratado incluem ainda caldo de osso; sucos vegetais e de frutas; suco de aloe vera; e chás de ervas como gengibre, erva-doce, camomila , alcaçuz ou mesmo o tradicional chá de hortelã .

4. Exercício

Ser ativo irá ajudá-lo a manter a função digestiva funcionando de forma eficiente, ajudando a combater a constipação e mantendo o fluido linfático em movimento por todo o corpo.
Tente fazer pelo menos 30 a 60 minutos de exercício por dia. No entanto, esteja ciente de que o overtraining pode causar um estresse desnecessário ao corpo, o que irá liberar mais hormônio do estresse conhecido como cortisol.

5. Reduza o estresse

Ansiedade e estresse podem ter um grande impacto na digestão, em todos os processos. Isso ocorre porque o cérebro e o intestino se comunicam muito de perto através da conexão do intestino-cérebro.
O cérebro aciona o sistema nervoso entérico para produzir enzimas, secreções e também saliva para ajudar na digestão. Altas quantidades de estresse podem elevar os níveis de cortisol, e isso pode mudar os níveis de açúcar no sangue e, às vezes, causar constipação, armazenamento de líquidos e fome excessiva.
A solução é diminuir o estresse através da prática de comer, meditação, oração, yoga, tai chi e qigong, e ouvir música e gastar mais na natureza.

6. Tome certos suplementos

É recomendado tomar uma enzima digestiva de espectro total no início de uma refeição, para ajudar com a dor abdominal e o inchaço. Inchaço e dor abdominal também podem ser aliviados pelo cloridrato de betaína, calota craniana, atractylodes macrocephala, olmo, extrato de alcachofra, leite de cardo e óleos essenciais como óleo de gengibre ou óleo de hortelã-pimenta .

Considerações Finais sobre Inchaço e Dor Abdominal

Acredita-se que a principal causa de dor abdominal e inchaço seja o excesso de gás, especialmente quando você come uma refeição ou bebe muito rapidamente. A causa da dor abdominal de estômago inchada é principalmente relacionada a problemas de digestão, que incluem distúrbios digestivos, sensibilidades alimentares ou intolerâncias, obstrução intestinal e infecção parasitária.

Outras causas de inchaço abdominal podem incluir gravidez e outras alterações hormonais, e cânceres como câncer de ovário, câncer de estômago ou linfoma não-Hodgkin.

Agora que você conhece as possíveis causas do inchaço abdominal, você pode fazer algo sobre o seu problema doloroso. O tratamento natural da dor abdominal e inchaço está direcionado a uma dieta adequada e ajustes no estilo de vida, como fazer exercício e reduzir o estresse.

Fontes: https://www.gastrojournal.org/article/S0016-5085(05)01348-X/fulltext

Fonte 02 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here