4 tratamentos naturais para fibrose cística e quais são os sintomas

Se eu lhe dissesse que existe uma doença que cerca de 12 milhões de pessoas atualmente carregam o gene e que essa mesma doença afeta mais de 30.000 crianças e jovens adultos, você gostaria de saber sobre isso, certo? Claro que sim, e é por isso que você precisa saber sobre fibrose cística.

A fibrose cística (FC) é uma desordem hereditária que interrompe as funções normais das células epiteliais, as células que alinham as passagens de muitos dos nossos órgãos mais importantes – incluindo os pulmões e sistema respiratório, fígado, rins, pele e sistema reprodutivo. Pessoas com FC têm um certo gene defeituoso que prejudica as funções das células epiteliais, fazendo com que elas experimentem um acúmulo de muco pegajoso dentro do corpo, muitas vezes levando a danos pulmonares e tosse crônica. Esse defeito, por sua vez, afeta a forma como os pacientes com FC respiram e filtram o ar, digerem os alimentos e absorvem nutrientes no trato digestivo. (1)

Fibrose cística - Sintomas e tratamentos naturais

Como as células epiteliais têm muitos papéis importantes dentro dos pulmões, glândulas sudoríparas da pele e do sistema digestivo, os sintomas de FC podem ocorrer em todo o corpo e tornar-se severos. O FC é uma doença séria, ao longo da vida, que precisa ser administrada adequadamente ao longo da vida do paciente.

 

De acordo com a Fundação de Fibrose Cística, atualmente CF é considerado incurável, porém certas intervenções dietéticas, suplementos, enzimas digestivas e hábitos de estilo de vida podem ajudar a gerenciar os sintomas. (2) Felizmente, ao longo das últimas décadas, abordagens de tratamento de fibrose cística têm percorrido um longo caminho. A maioria das pessoas com fibrose cística agora vive em seus 20s e 30s – e algumas ainda mais, em seus 40s ou 50s. A pesquisa mostra que os diagnósticos precoce da fibrose cística podem ajudar a prevenir complicações e certos problemas de desenvolvimento, ajudando a melhorar a qualidade de vida de um paciente.

Formas naturais para ajudar a gerenciar a fibrose cística

1. Diagnósticos e cuidados iniciais

O FC é diagnosticado com maior frequência em bebês, recém nascidos ou crianças pequenas, realizando testes genéticos. Os médicos agora podem testar CF durante a gravidez, o que é especialmente comum em crianças com alto risco. Em recém-nascidos ou crianças, um “teste de suor” é agora o meio mais comum de fazer um diagnóstico de FC, que é conduzido testando uma amostra de suor da pele para níveis de cloreto. Além de um teste de suor, radiografias de tórax, exames de sangue, testes de estado nutricional, testes bacterianos e testes de função pulmonar para medir a respiração também podem ser realizados. (3)

Os diagnósticos precoce da fibrose cística podem ajudar a gerir sintomas e complicações antes de piorarem, como desidratação e diarreia, o que pode contribuir para a perda de peso. Os médicos podem ajudar a limpar os pulmões do muco, ajudar a prevenir infecções e fazer com que o paciente comece com uma dieta que evite as deficiências nutricionais. As enzimas digestivas e suplementos também podem ajudar com desenvolvimento saudável e aumento de peso.

2. Intervenção dietética para prevenir deficiências

Jovens pacientes com FC que iniciam uma dieta com alimentos com alto teor de nutrientes, suplementos e enzimas digestivas são mais propensos a ter metabolismos mais fortes, ganhar peso normalmente e evitar infecções mortais. A dieta desempenha um papel importante no manejo da fibrose cística porque as infecções e doenças pulmonares progridem mais devagar entre as crianças que estão crescendo bem e recebendo vitaminas, minerais, probióticos e antioxidantes suficientes.

Muitos médicos / nutricionistas que trabalham com pacientes com FC recomendam uma dieta com alto teor de gordura e alta caloria para reduzir o risco de desnutrição, embora as enzimas sejam muitas vezes necessárias para aumentar a absorção de vitaminas gordas e solúveis em gordura. Os alimentos lixo e os alimentos processados ​​podem ser elevados em calorias e gorduras (especialmente gorduras trans ou ácidos graxos ômega-6 encontrados em óleos vegetais refinados, como cártamo, girassol, milho e gergelim), mas geralmente não são úteis para baixar inflamação e evitar danos nos pulmões, portanto não são recomendados para pessoas com FC.

Alguns dos nutrientes benéficos que as pessoas com fibrose cística são mais propensos a ser baixos incluem: (4)

  • Vitamina K
  • Vitamina D
  • Vitamina A
  • Vitamina E

Algumas pessoas com FC também podem precisar adicionar mais sal às suas dietas para evitar a desidratação
Os ácidos graxos ômega-3 podem ser benéficos para diminuir a inflamação (encontrada em peixes capturados de forma selvagem como salmão, sardinha e alabote de Alasca)
As enzimas pancreáticas também são comumente administradas para ajudar a digerir alimentos e calorias melhor
Multivitaminas e antioxidantes de alta qualidade podem ajudar a prevenir inflamações, susceptibilidade a infecções e danos nos pulmões
Suplementos probióticos também são úteis para melhorar as funções digestivas
Comer gorduras antiinflamatórias, incluindo gorduras monoinsaturadas como o azeite virgem extra, abacate e óleo de coco virgem, é uma boa maneira de aumentar a ingestão de calorias. Nozes e sementes, como amêndoas, sementes de chia, sementes de linhaça, nozes e sementes de cânhamo, também são boas escolhas para este propósito, como são carnes mais gordurosas, como carne de cordeiro e cordeiro. Os carboidratos não refinados podem ajudar a fornecer calorias densas e energia, especialmente quando combinados com gordura, mas é melhor comer tipos não processados ​​e de baixa glicemia, como grãos antigos, vegetais e frutas amiláceas.

3. Ajuda com função pulmonar adequada e respiração

Os tratamentos de fibrose cística hoje são geralmente destinados a melhorar a qualidade de vida, ajudando a aumentar a ingestão / absorção de nutrientes e melhorar a capacidade respiratória e pulmonar. O uso de tratamentos de terapia pulmonar sem medicação para manter a função pulmonar é muito comum e pode salvar a vida. Dispositivos como um broncodilatador podem ajudar a relaxar os músculos nas vias aéreas dos pulmões, ajudar a eliminar muco e evitar que a inflamação se agrave.

O uso de certos inalantes ou broncodilatadores pode ajudar a restaurar a respiração e manter as infecções afastadas, como pode usar dispositivos denominados pressão expiratória positiva oscilatória, que aumentam o fluxo de ar para os pulmões através do uso de vibrações que ajudam a quebrar o muco. (5, 6) A pesquisa mostra que aproximadamente 50 por cento dos pacientes com FC apresentam algum grau de labilidade brônquica (asma), que um broncodilatador pode melhorar, aumentando a depuração das secreções do tórax. Os broncodilatadores às vezes são usados ​​em combinação com outras terapias, como fisioterapia ou medicamentos anti-muco e soluções de sal para expulsar fleuma e oferecer ainda mais alívio.

4. Fisioterapia e exercício

Outras abordagens naturais para ajudar os pacientes com FC a respirar mais facilmente incluem exercícios de respiração, terapia física e terapia de ventosas. Essas técnicas não requerem medicamentos ou antibióticos e ajudam a desalojar o muco no tórax, nas vias aéreas e em outros lugares, o que limita a respiração e diminui a qualidade de vida.

Ao longo dos anos, houve opiniões contraditórias sobre se a fisioterapia ou não pode ser eficaz para baixar os sintomas de FC. Uma meta-análise publicada no American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine analisou várias abordagens principais de limpeza de secreções brônquicas no tratamento de pacientes com fibrose cística. Essas abordagens incluíram máscara de pressão expiratória positiva, técnica expiratória forçada, exercício, drenagem autêntica e “fisioterapia padrão” usando vibrações, drenagem e percussão. Eles descobriram que a terapia física funcionou muito bem na maioria dos pacientes, especialmente quando usado em combinação com outras abordagens, como um exercício suave e apropriado.

Mais de 65 estudos relevantes e oito artigos de revisão foram incluídos nas meta-análises que compararam as técnicas independentes, e verificou-se que a fisioterapia padrão resultou em uma expectoração de expectoração significativamente maior do que nenhum tratamento ou outro tratamento único. A terapia física em combinação com o exercício adequado para o paciente foi associada a um aumento estatisticamente significativo da qualidade de vida e a menores sintomas de FC. (7)

 

Fatos Sobre Fibrose Cística

O CF afeta mais de 30 mil crianças e jovens adultos(8)
Esta doença é mais comum entre os caucasianos, enquanto os asiáticos americanos são menos propensos a ter FC. Nos Estados Unidos, cerca de 3.600 crianças caucasianas nascem com FC (em comparação com um de cada 17.000 afro-americanos e apenas um de cada 90.000 asiáticos americanos)
O gene defecado responsável por causar CF é encontrado no “cromossomo número 7” do DNA de uma pessoa. É preciso duas cópias de um gene CF (um herdado de cada pai) para que alguém desenvolva FC. Quando duas operadoras da FC têm uma criança, há uma chance em quatro de que a criança tenha CF.
O CF também pode ser realizado em pessoas que não desenvolvem a doença se herdarem apenas um gene CF. O pai transportador pode passar a doença para o filho e as estimativas mostram que cerca de 12 milhões de adultos são atualmente transportadores de FC.
85% das pessoas com FC são diagnosticadas como crianças. Hoje, a detecção precoce, inclusive durante a gravidez, está ajudando os médicos a administrarem a doença o mais cedo possível.

Como desenvolve a Fibrose Cística

O CF afeta a forma como certas proteínas funcionam dentro das células epiteliais das glândulas mucosas. A maioria das pessoas pensa em células epiteliais em termos de pele – uma vez que, de fato, nos ajudam a gastar para que possamos regular nossas temperaturas corporais. Mas essas células importantes também têm a responsabilidade de controlar a forma como o cloreto (parte dos sais naturais) passa através das membranas celulares em outras partes do corpo também. As células epiteliais equilibram a relação entre sal e água, formando fluidos importantes, sucos digestivos e muco que nos ajudam a quebrar alimentos e prevenir vírus ou infecções. (9)

Com CF, o muco grosso começa a se acumular e pode começar a bloquear as vias aéreas nos pulmões, contribuindo para infecções recorrentes, uma vez que os germes são mais propensos a ficar presos dentro do corpo. Além deste muco que danifica os pulmões e diminui a imunidade, também é capaz de afetar o sistema digestivo, especialmente o pâncreas, rins, intestinos e fígado. Mucus pode começar a diminuir a produção de enzimas digestivas importantes e “sucos” que normalmente são segregados pelo pâncreas, o que leva a um problema absorvendo adequadamente nutrientes dentro dos intestinos e, às vezes, perda de peso insalubre.

Sintomas de fibrose cística

Pessoas com fibrose cística sofrem de sintomas, incluindo: (10)

  • Congestão nasal, lesão pulmonar, tosse crônica e sintomas semelhantes a asma; Tosse que produz muco grosso, pesado e descolorido
  • Infecções repetidas dos sinus e pulmões (como bronquite e pneumonia, que é uma das principais causas de uma vida útil reduzida)
  • Dificuldade em respirar ou chiado, mesmo quando em repouso
  • Deficiências nutricionais, especialmente de vitaminas lipossolúveis (vitaminas A, D, E e K)
  • Problemas de desenvolvimento em lactentes e crianças
  • Perda de peso involuntária, às vezes perigosa
  • Diarréia, desidratação e desequilíbrio eletrolítico
  • Fezes gordurosas e volumosas (causadas por gorduras não digeridas e proteínas acumuladas nas fezes)
  • Problemas digestivos, como gás intestinal, barriga inchada, diarréia crônica e dor abdominal
  • Fadiga crônica
  • As complicações a longo prazo e as doenças que podem desenvolver a partir de FC incluem: sinusite, bronquiectasias, pancreatite, bloqueios intestinais, bloqueios nasais, pulmões colapsados ​​(pneumotórax), prolapso retal, cálculos biliares, diabetes e baixa densidade óssea

Uma vez que muitos casos de fibrose cística são diagnosticados em bebês ou crianças muito pequenas, problemas de desenvolvimento e infecções que ameaçam a vida são algumas das maiores preocupações. Muitos recém-nascidos nascidos com CF não ganham peso como esperado, uma vez que o muco evita que os sucos digestivos pancreáticos entrem nos intestinos e quebrar gorduras e proteínas adequadamente. Os pulmões são especialmente suscetíveis a infecções recorrentes, como bronquite ou pneumonia, às vezes quais bebês ou crianças pequenas não são capazes de se combater.

Causas da fibrose cística

A fibrose cística é uma desordem hereditária, causada por um gene defeituoso que direciona como o corpo produz um tipo de proteína conhecida como regulador de condutância transmembranar da fibrose cística (CFTR). O CFTR é encontrado nas células epiteliais do corpo, que são mais abundantes nos pulmões, trato digestivo, glândulas sudoríparas e sistema genitourinário (sistema orgânico dos órgãos reprodutivos e sistema urinário).

As proteínas CFTR ajudam as células epiteliais a regular os níveis de cloreto encontrados no sal (cloreto de sódio), portanto, quando eles não estão funcionando normalmente, a consistência do muco e outros níveis de fluidos se alteram de forma perigosa. O delicado equilíbrio de sal e água que é necessário para manter um revestimento fino de muco no interior dos órgãos é deslocado e, como resultado, um muco mais espesso do que o habitual, que forma fortemente o interior dos pulmões e passagens.

Mucus dentro dos pulmões tem o papel importante de aprisionar e ajudar a remover germes, como bactérias, vírus e fungos. Em pessoas sem fibrose cística, o muco é normalmente magro e fluido, o que permite que ele seja facilmente removido do sistema respiratório, transportando com ele germes e desperdícios, que são removidos dos pulmões. No entanto, quando alguém tem CF, o muco “pegajoso” permanece alojado nas passagens dos pulmões, incapaz de remover germes potencialmente perigosos.

A FC causa o maior dano aos pulmões, mas também prejudica a digestão normal. No pâncreas e nos intestinos, o muco grosso pode bloquear a forma como as enzimas importantes funcionam, mudando a forma como os alimentos são digeridos e os nutrientes absorvidos. Muitas pessoas com FC têm dificuldade em comer e digerir alimentos normalmente, especialmente crianças que são suscetíveis ao desenvolvimento lento, deficiências nutricionais e baixo ganho de peso. Mesmo que a fibrose cística não altere o apetite de alguém e a ingestão de alimentos, ainda pode bloquear a absorção de alguns nutrientes.

Futuro dos Cuidados com a Fibrose Cística

Em vez de simplesmente tratar os sintomas da FC, novas abordagens estão buscando atingir as causas genéticas subjacentes. (11) Vários novos tratamentos estão sendo desenvolvidos para CF que oferecem muitas esperanças para o futuro.

Um tratamento que já foi utilizado com sucesso em mais de 100 pacientes com FC nos EUA é um spray inalado que contém cópias normais do gene CF defeituoso, que pode corrigir a cópia defeituosa nos pulmões e melhorar a forma como o muco é feito. Outra abordagem semelhante é a terapia de reparação de proteínas, que também corrige o funcionamento da proteína CFTR defeituosa e reduz a acumulação de muco pegajoso no trato digestivo e nas vias aéreas.

Resumo sobre tratamentos e sintomas da fibrose cística

A fibrose cística afeta mais de 30 mil crianças e adultos jovens.
Quando dois pais tem FC e geram uma criança, há uma chance por quatro que a criança tenha CF. O CF também pode ser realizado em pessoas que não desenvolvem a doença se herdarem apenas um gene CF. O pai transportador pode passar a doença para o filho e as estimativas mostram que cerca de 12 milhões de adultos são atualmente transportadores de FC.
A maioria das pessoas com fibrose cística agora vive em seus 20s e 30s – e algumas ainda mais, em seus 40s ou 50s. A pesquisa mostra que os diagnósticos precoce da fibrose cística podem ajudar a prevenir complicações e certos problemas de desenvolvimento, ajudando a melhorar a qualidade de vida de um paciente.
As melhores maneiras de gerenciar naturalmente a fibrose cística incluem diagnóstico e cuidados precoce, intervenção dietética para prevenir deficiências, ajuda com função pulmonar adequada e respiração, fisioterapia e exercício físico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here