Como reduzir o inchaço após as refeições.

Inchaço é a condição de  sua sensação de barriga inchada e pesada depois de comer.

Geralmente é causada pelo excesso de produção de gás e / ou distúrbios no movimento dos músculos do sistema digestivo.

Isso pode causar maior pressão e desconforto, e às vezes pode tornar o estômago maior.

11 formas comprovadas de reduzir ou eliminar o inchaço

“Inchaço” não é o mesmo que a retenção de água, mas os dois termos são frequentemente usados ​​indistintamente.

Simplificando, o inchaço envolve quantidades excessivas de sólidos, líquidos ou gases no seu sistema digestivo.

No entanto, em algumas pessoas, o inchaço é causado principalmente pelo aumento da sensibilidade. Apenas sentem como se houvesse pressão aumentada no abdômen, embora não exista de fato.

Cerca de 16-30% das pessoas relatam que eles experimentam regularmente inchaço, então isso é muito comum.

O inchaço geralmente pode causar dor, desconforto e um sentimento “de estar cheio”, mas também pode fazer você parecer mais pesado e dar a percepção de grandes quantidades de gordura na barriga .

Embora o inchaço às vezes seja causado por condições médicas graves, é muitas vezes causado pela dieta e alguns alimentos ou ingredientes que você é intolerante sem saber.

Aqui estão algumas maneiras comprovadas de reduzir ou eliminar inchaço.

1. Não coma muito de uma vez

Estar cheio pode te passar a sensação que você está inchado, mas o problema é que você simplesmente comeu demais.

Se você estiver comendo grandes refeições e ficando desconfortável depois, tente porções menores.

 

Adicione uma outra refeição diária, se necessário.

Um subconjunto de pessoas que sofrem de inchaço realmente não tem estômago aumentado ou pressão aumentada no abdômen. A questão é principalmente sensorial.

Uma pessoa com tendência a ficar inchada experimentará menos desconforto com uma quantidade menor de alimentos do que uma pessoa que raramente se sente inchada.

Por esse motivo, simplesmente comer refeições menores pode ser extremamente útil.

Mastigar sua comida mais pode ter um efeito duplo. Reduz a quantidade de ar que você engole com os alimentos (uma causa de inchaço), e também faz com que você coma mais devagar, o que está relacionado à redução da ingestão de alimentos e porções menores.

Linhas gerais: Pessoas que experimentam inchaço muitas vezes tem aumentada a sensibilidade aos alimentos no estômago. Portanto, comer refeições menores pode ser muito útil.

2. Eliminar alergias e intolerâncias alimentares dos alimentos comuns

Alergias e intolerâncias alimentares são relativamente comuns.

Quando você come alimentos que você é intolerante, pode causar excesso de produção de gás, inchaço e outros sintomas.

Aqui estão alguns alimentos comuns e ingredientes a considerar:

  • Lactose: A intolerância à lactose está associada a muitos sintomas digestivos, incluindo inchaço. A lactose é o principal carboidrato no leite.
  • Frutose: a intolerância à frutose pode levar a inchaço.
  • Ovos: gás e inchaço são sintomas comuns de alergia a ovos.
  • Trigo e glúten: muitas pessoas são alérgicas ao trigo, ou intolerantes ao glúten (uma proteína em trigo, espelta, cevada e alguns outros grãos). Isso pode levar a vários efeitos adversos na digestão, incluindo inchaço.

Você pode tentar evitar alguns desses alimentos para ver se isso ajuda. Mas se você suspeitar fortemente de ter uma alergia ou intolerância alimentar, consulte um médico.

linhas gerais:alergias alimentares e intolerâncias são causas comuns de inchaço. Os alimentos comuns incluem lactose, frutose, trigo, glúten e ovos.

3. Evite engolir ar e gases

Existem duas fontes de gás no sistema digestivo.

Um é o gás produzido pela bactéria no intestino (o que vamos falar daqui a pouco).

O outro é o ar ou gás que é engolido quando você come ou bebe. O maior ofensor aqui é a bebida com gás( refrigerantes ou bebidas efervescentes).

Eles contêm bolhas com dióxido de carbono, um gás que pode ser liberado do líquido depois que ele atinge seu estômago.

Mastigar chiclete, comer enquanto fala ou com comer com pressa também pode levar a uma quantidade aumentada de ar engolido.

linhas gerais: O ar engolido pode contribuir para o inchaço. Uma das principais causas são as bebidas com gás, que contêm gases dissolvidos no líquido.

4. Não coma alimentos que lhe dão gases

Alguns alimentos ricos em fibra podem fazer com que as pessoas produzam grandes quantidades de gás.

Os principais alimentos incluem legumes como feijão e lentilhas, bem como alguns grãos integrais.

Tente manter um diário de alimentos para descobrir se certos alimentos tendem a torná-lo mais gaseoso e / ou inchado do que outros.

Alimentos gordurosos também podem diminuir a digestão e esvaziar o estômago. Isso pode ter benefícios para a saciedade (e possivelmente ajudar com a perda de peso ), mas pode ser um problema para pessoas com tendência a ficarem inchadas.

Tente comer menos feijão e alimentos gordurosos para ver se isso ajuda.

linhas gerais:se certos alimentos o fazem sentir inchado ou com mais gases, tente cortar ou evitá-los. Comer alimentos gordurosos também pode retardar a digestão e pode contribuir para inchaço em alguns indivíduos.

5. Experimente uma dieta baixa em FODMAP

A síndrome do intestino irritável é a desordem digestiva mais comum do mundo.

Não tem uma causa conhecida, mas acredita-se que afete cerca de 14% das pessoas, a maioria não diagnosticada.

Os sintomas comuns incluem inchaço, dor abdominal, desconforto, diarréia e / ou constipação.

A maioria dos pacientes sofre inchaço, e cerca de 60% deles relatam inchaço como seu pior sintoma, pior ainda do que a dor abdominal.

Numerosos estudos mostraram que os carboidratos indigestíveis chamados FODMAPS podem aumentar drasticamente os sintomas em pacientes com a síndrome do intestino irritável.

FODMAP significa Fermentados, Oligo, Di-, Mono-Sacarídeos E Polióis.

Uma dieta baixa em FODMAP mostrou que ajuda com grandes reduções nos sintomas, como inchaço, pelo menos em pacientes com síndrome do intestino irritável.

Se você tiver problemas com inchaço, com ou sem outros sintomas digestivos, então uma dieta baixa em FODMAP pode ser uma boa maneira de corrigi-la.

Aqui estão alguns alimentos comuns ricos em FODMAP:

  • Trigo.
  • Cebolas.
  • Alho .
  • Brócolis.
  • Repolho.
  • Couve-flor.
  • Alcachofras.
  • Feijões.
  • Maçãs .
  • Peras.
  • Melancia.

Esta dieta pode ser difícil de seguir se você estiver acostumado a comer muitos desses alimentos, mas pode valer a pena experimentar se você sofre de inchaço ou outros problemas digestivos.

linhas gerais:carboidratos chamados FODMAPs podem causar inchaço e outros sintomas digestivos, especialmente em pessoas com síndrome do intestino irritável.

 6. Cuidado com os álcoois de açúcar

Os álcoois de açúcar são comumente encontrados em alimentos isentos de açúcar e gomas de mascar.

Estes edulcorantes geralmente são considerados como alternativas seguras para o açúcar.

No entanto, eles podem causar problemas digestivos, porque eles tendem a atingir as bactérias no intestino grosso, que os digerem e produzem gás.

Os álcoois de açúcar são, na verdade, FODMAPs, portanto, eles são excluídos em uma dieta baixa em FODMAP.

Tente evitar álcoois de açúcar como xilitol , sorbitol e manitol. O álcool de açúcar eritritolpode ser melhor tolerado do que os outros, mas também pode causar problemas digestivos em grandes doses.

linhas gerais: OS álcoois de açúcar podem causar problemas digestivos, tais como inchaço, especialmente quando consumidos em grandes doses. Tente evitar gomas de mascar sem açúcar e outras fontes de álcoois de açúcar.

7. Experimente suplementos de enzimas digestivas

Existem certos produtos vendidos em farmácias que podem ser úteis.

Isso inclui enzimas suplementares que podem ajudar a quebrar os carboidratos indigestíveis.

Entre os notáveis ​​incluem:

  • Lactase: uma enzima que quebra a lactose, útil para pessoas com intolerância à lactose.
  • Beano: contém a enzima alfa-galactosidase, que pode ajudar a quebrar os carboidratos indigestíveis de vários alimentos.

Em muitos casos, esses tipos de suplementos podem fornecer alívio quase imediato.

linhas gerias: muitos produtos de farmácia podem ser úteis contra inchaço e outros problemas digestivos. Estas são, geralmente, enzimas digestivas que ajudam a quebrar certos componentes de alimentos.

8. Não fique constipado

A constipação é um problema digestivo muito comum, e pode ter muitas causas diferentes.

Estudos mostram que a constipação pode muitas vezes agravar os sintomas de inchaço ( 23 , 24 ).

Consumir mais fibras solúveis geralmente é recomendado para constipação.

No entanto, o aumento no consumo de fibra precisa ser feito com cautela para as pessoas com gás e / ou inchaço, porque a fibra geralmente pode piorar as coisas.

Você pode tentar tomar suplementos de magnésio, ou aumentar a sua atividade física, que podem ser eficazes contra a constipação.

linhas gerais: A constipação pode piorar os sintomas de inchaço. O aumento da ingestão de magnésio e atividade física pode ser efetivo contra a constipação.

9. Tome Probióticos

O gás produzido pela bactéria no intestino é um dos principais contribuintes para a inchaço.

Existem muitos tipos diferentes de bactérias que residem lá, e podem variar entre os indivíduos.

Parece lógico que o número e o tipo de bactérias possam ter algo a ver com a produção de gás, e há alguns estudos para suportar isso.

Vários ensaios clínicos mostraram que certos suplementos probióticos podem ajudar a reduzir a produção de gás, bem como a inchaço, em pessoas com problemas digestivos.

No entanto, outros estudos mostraram que os probióticos podem ajudar a reduzir o gás, mas não os sintomas de inchaço.

Isso pode depender do indivíduo, bem como do tipo de estirpe probiótica utilizada.

Os suplementos probióticos podem ter inúmeros outros benefícios, então eles definitivamente valem a pena experimentar.

Eles podem demorar um pouco para começar a dar resultados, então seja paciente.

linhas gerais:suplementos probióticos podem ajudar a melhorar o ambiente bacteriano no intestino, o que pode ajudar a reduzir os sintomas de gás e inchaço.

10. Óleo de hortelã pode ajudar

O inchaço também pode ser causado por função alterada dos músculos no trato digestivo.

Drogas chamadas antiespasmódicos, que podem ajudar a reduzir os espasmos musculares, demonstraram ser úteis.

O óleo de hortelã-pimenta é uma substância natural que se acredita funcionar de forma semelhante.

Numerosos estudos mostraram que pode reduzir vários sintomas em pacientes com problemas no estômago, incluindo inchaço.

O óleo de hortelã-pimenta está disponível sob a forma de suplemento.

linhas gerais: O óleo de hortelã  pimenta mostrou-se eficaz contra inchaço e outros sintomas digestivos.

11. Veja um médico para descartar uma condição crônica e / ou grave

Se esse problema persistir, poderá causar sérios problemas em sua vida, então, definitivamente, consulte um médico.

Existe sempre a possibilidade de alguma condição médica crônica e / ou grave, e o diagnóstico de problemas digestivos pode ser complicado.

No entanto, em muitos casos, o inchaço pode ser reduzido (ou mesmo eliminado) usando mudanças simples na dieta.

8 melhores maneiras de reduzir o inchaço naturalmente em diferentes partes do corpo

Inchaço ou edema é uma condição na qual o fluido se move para espaços entre as células – geralmente localizados no sistema circulatório – e obstrui a passagem livre de nutrientes. Dependendo da causa, o inchaço pode ser reduzido usando compressas quentes ou frias e repousando as partes do corpo afetadas. Igualmente benéfico pode ser tentar massagens terapêuticas e reduzir sua ingestão de sal.

O sistema circulatório humano é uma rede de artérias e veias que fornecem sangue e nutrientes para cada uma de nossas células. O sangue circulante serve muitas funções vitais e é composto de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e um componente incolor chamado plasma ou soro. Este é o mesmo líquido que vemos saindo de uma ferida enquanto ocorre a cura. Em algumas doenças – e às vezes por causa de trauma – esse fluido pode se mover para os espaços entre as células e interromper o fluxo sanguíneo regular. As áreas onde o líquido se acumula incham e se tornam dolorosas. Medicamente, essa condição é chamada de edema.

Como uma febre, inchaço ou edema é apenas um sintoma de uma condição subjacente. Quando a condição é identificada e tratada, o inchaço irá naturalmente diminuir por conta própria. Enquanto isso, existem alguns remédios caseiros que podem ajudar. Lembre-se, se seu inchaço é acompanhado por dor ou febre, visite um médico imediatamente.

 

1. Melhore a circulação: eleve a área e use banhos quentes e frios

Levantando a área: Colocar um travesseiro sob a área inchada pode ajudar a levantá-lo e fazer a circulação funcionar novamente. Se você andar muito e sentir inchaço nas pernas, pode ser aconselhável fazer pausas curtas. É hora de sentar, colocar os pés para cima e relaxar.  Você também deve evitar ficar em pé por longos períodos.

Banhos Quentes e Frios: banhos alternativos, quentes ou frios, para as mãos ou para os pés, geralmente melhoram a circulação. Comece com 3 minutos em banho quente seguido de 1 minuto de banho frio. Repita pelo menos três vezes. Você pode fazer esses conjuntos 2 a 3 vezes por dia. Como todos os remédios caseiros, consulte seu médico primeiro.

2. Movendo-se mais

Se você está com excesso de peso, seu médico provavelmente irá aconselhá-lo a perder peso através de dieta e exercício. Este último pode melhorar significativamente a circulação. Manter-se ativo ajuda a remover o excesso de fluido do corpo. As formas de exercício de baixo impacto, como caminhar, nadar e andar de bicicleta, são especialmente seguras para as articulações.

3. Use meias de compressão

Formas comprovadas de reduzir ou eliminar o inchaço
Certas meias podem prender os membros firmemente e evitar que o fluido se acumule lá. Estes podem ser úteis em casos crônicos.

4. Coma Menos Sal

O sal faz com que os fluidos saiam das células para as áreas circundantes. Reduzir a ingestão de sal pode ser uma maneira fácil de reduzir essa retenção de líquidos e evitar o inchaço. Além de cortar o sal diretamente, evite sal oculto evitando alimentos processados ​​ou embalados, especialmente picles, molhos e produtos de carne preparados, como salsichas.

5. Tente a Terapia da Sanguessuga

Em casos de trauma ósseo ou trauma nos tecidos próximos, o inchaço também pode ocorrer na medula óssea. A medicina Ayurveda recomenda a terapia de sanguessugas muito antigas para tratar este tipo de inchaço se acontecer no tálus, o osso grande do tornozelo. Um praticante ayurvédico treinado deve ser capaz de ajudar.

6. Dê uma Chance a Acupuntura

Na medicina chinesa, acredita-se que o edema seja resultado de problemas nos pulmões, no baço e nos rins. Se e quando algum desses órgãos deixar de funcionar normalmente, a circulação diminui, resultando em edema. A acupuntura tem uma fórmula que descreve o conjunto exclusivo de pontos a serem usados ​​no tratamento de diferentes tipos de edema.
Como parte de um processo de tratamento, a acupuntura foi realizada em 122 pacientes que desenvolveram edema após a radioterapia para câncer de mama e útero. Os pacientes apresentavam vários graus de inchaço nos braços e nas pernas. A acupuntura mostrou-se eficaz no controle tanto do edema quanto da dor.

7. Tente Massagem Terapêutica

Massagem pode ser eficaz na redução do edema que se origina por causa de lesões esportivas. Quando uma veia ou canal linfático é comprimido durante uma massagem, o líquido é drenado em direção ao coração. O líquido acumulado que causou o edema pode entrar nos vasos sanguíneos com mais facilidade, aliviando a pressão sobre os tecidos circundantes e melhorando o fluxo sanguíneo.

Os óleos essenciais de camomila, lavanda, melaleuca, zimbro, erva-doce e gerânio foram apontados como eficazes contra o inchaço. Óleo de camomila, óleo de lavanda e óleo de melaleuca podem ser aplicados diretamente nas partes afetadas e massageados. Acrescente algumas gotas de óleo de zimbro ou óleo de gerânio à água do seu banho e deixe-as de molho para o alívio.

O óleo de gerânio também pode ser misturado com um óleo transportador e aplicado diretamente nas partes afetadas. Misture 15 gotas de óleo de erva-doce com 15 gotas de óleo de cipreste e cerca de 30 ml de óleo de prímula e massageie a área afetada com esta mistura para aliviar a dor e a inflamação.

Outro remédio para o edema exige misturar 10 gotas de óleos essenciais de cipreste, erva-doce, gerânio e zimbro com meia xícara de calêndula ou óleo de girassol (óleo transportador). A mistura deve então ser aplicada à área afetada e levemente massageada em direção ao coração. Isso pode ser repetido 2 a 3 vezes por dia até o inchaço diminuir.
A terapia com óleo para o edema é amplamente descrita, mas não há pesquisas científicas suficientes para explicar o funcionamento dessa terapia. Também é uma boa ideia consultar um especialista para um remédio que atenda especificamente à sua condição.

 

Massagem Usando Óleos Ayurvédicos

Segundo a Ayurveda, os indivíduos com dosha kapha são mais propensos a condições de retenção de líquidos e inchaço. Para essas pessoas, uma mistura de óleo anti-kapha pode ser preparada usando mostarda e óleo de gergelim em uma proporção de dois para um, aquecida levemente e massageada em pontos específicos de massagem. Óleos profundamente penetrantes, como óleo de cânfora, mentol ou eucalipto podem ser adicionados à mistura também.
Você deve consultar um praticante ayurvédico para que a massagem possa abordar sua condição específica.

8. Use tratamentos de ervas

As ervas podem ser usadas para remover o excesso de fluido do corpo e fortalecer e tonificar os sistemas do corpo. Ervas diferentes devem ser usadas para tratar o edema pulmonar dependendo se o edema é desencadeado por condições no coração ou não.

Enquanto alho estimula o sistema imunológico e reduz a pressão arterial, ervas como alecrim, cavalinha e castanha podem ajudar o corpo a remover o excesso de líquido. Estas ervas são seguras para o edema que não se originou por causa de qualquer problema cardíaco. Para o edema resultante de um problema cardíaco, ervas como o astrágalo, forskolina e ginkgo são aconselhadas. Não consuma nenhuma destas ervas se já estiver a tomar diuréticos. Eles também podem reagir negativamente com medicamentos que afinam o sangue e algumas outras drogas também. Consulte um especialista em ervas e seu médico antes de iniciar qualquer tratamento com ervas.

Embora o edema seja frequentemente uma condição temporária que desaparece por si só, procure atendimento médico imediatamente se a condição persistir ou se tornar dolorosa.

O que causa um edema?

Existem várias razões pelas quais um edema pode se desenvolver:

Algo tão simples quanto permanecer na mesma posição por muito tempo pode causar inchaço. Já notou os tornozelos inchados no final de um longo dia? Essa é uma forma de edema. Esse tipo de inchaço geralmente é bastante inofensivo e desaparece após descanso suficiente.
O inchaço pode ocorrer quando as veias perdem a elasticidade de que precisam para bombear o sangue de volta ao coração. Esta condição pode se manifestar como varizes, o que também pode levar ao inchaço.

Doenças em qualquer um dos órgãos reguladores , como fígado, rins e glândula tireóide, podem causar inchaço.
Durante a gravidez , o útero em crescimento pressiona os vasos sanguíneos nas pernas. Isso pode causar inchaço ou edema nos membros inferiores.

O edema pulmonar é uma condição perigosa que pode dificultar a respiração. Isso geralmente acontece devido à insuficiência cardíaca congestiva . À medida que o coração trabalha mais para bombear o sangue, os capilares menores nos pulmões começam a liberar fluido em espaços próximos, reduzindo significativamente a capacidade pulmonar.

 

Por que e quando é um edema prejudicial?

Há muitas razões pelas quais um edema pode ser prejudicial aos tecidos circundantes e até perigoso para o indivíduo afetado. Um edema torna-se especialmente perigoso quando se forma ao redor de órgãos internos ou se torna insuportavelmente doloroso. Algumas condições desagradáveis podem ocorrer:

Toxicidade : O fluido preso impede a livre troca de nutrientes e toxinas dos capilares sanguíneos. Como resultado, as células da área podem morrer de fome ou até mesmo sofrer de toxicidade.

Respiração prejudicada : Os pulmões são centros de troca gasosa e um edema pode impedir a respiração efetiva.

Danos ao órgão : Alguns órgãos do corpo estão envoltos em tecido protetor. Por exemplo, o cérebro tem o crânio e os rins têm uma bainha fibrosa. Em tais órgãos, até mesmo um leve acúmulo de líquido pode fazer com que os órgãos empurrem essas barreiras, resultando em danos aos órgãos.

Se o cérebro inchasse, ele iria empurrar e comprimir as artérias contra o crânio. Isso interromperia o fornecimento de sangue ao cérebro, causando danos graves. Da mesma forma, se houver um inchaço ao redor da área do pulmão, a capacidade pulmonar pode reduzir significativamente e causar desconforto respiratório.

Infecção : Quando uma área está tão inchada que provoca dor imensa, ou se há vermelhidão se desenvolvendo na área inchada, pode ser um sinal de infecção e precisa de cuidados médicos imediatos.

Inchaço crônico : Quando o inchaço é crônico, geralmente significa que há algo mais acontecendo. Muitas causas, desde a flutuação da pressão sanguínea até o enfraquecimento das veias, podem levar ao inchaço crônico. Como o inchaço impede que os nutrientes atinjam uma determinada área do corpo, o inchaço crônico pode se transformar em uma condição mais séria.

Sempre que ocorrer um inchaço que dura por mais de 2 semanas, conte seu médico rapidamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here