Conteúdo

Tudo sobre a medicação para a condição bipolar – O papel da medicação no tratamento do transtorno bipolar
Se você sofre de transtorno bipolar, a medicação provavelmente faz parte do seu plano de tratamento. Uma vez que identificar o medicamento e a dose corretos podem ser complicados, é importante trabalhar em real colaboração com um especialista e reavaliar regularmente toda sua medicação. Também é importante ter em mente que tomar medicação é apenas uma parte de um programa de tratamento bem-sucedido. As mudanças de estilo de vida, o estabelecimento de um sistema de suporte eficaz e a terapia exploratória também são importantes para monitorar seus sintomas e viver uma vida plena e produtiva.

 

 

O papel da medicação no tratamento do transtorno bipolar

Se você tiver sofrendo de transtorno bipolar, a medicação provavelmente será uma base do seu plano de tratamento. A medicação pode gerenciar a mania e a depressão e evitar a queda, uma vez que seu humor se estabilizou. Você pode não gostar do pensamento de tomar a medicação bipolar a longo prazo, especialmente se você está sofrendo com efeitos colaterais desagradáveis. Mas, assim como um diabético precisa da insulina para se manter sempre saudável, tomar a medicação correta para transtorno bipolar de fato irá ajudá-lo a manter um humor estável.

No entanto, não espere que os remédios sozinhos possam resolver todos os seus problemas. Há muitas outras atitudes que você pode tomar para monitorar seus sintomas e reduzir a quantidade de medicamento necessário. A medicação é mais eficaz quando usada juntamente com outros tratamentos de transtornos bipolares, incluindo a terapia, as estratégias de enfrentamento de auto-ajuda e escolhas saudáveis ​​de estilo de vida.

Dicas para tirar o máximo proveito da medicação para transtorno bipolar

Evite os antidepressivos. O tratamento focado para a depressão bipolar é diferente do que para o caso de depressão normal. Na verdade, os antidepressivos podem realmente tornar pior a desordem bipolar ou mesmo desencadear um episódio maníaco. Experimente estabilizadores de humor primeiro, e nunca tome antidepressivos sem eles.

Aproveite os estabilizadores de humor naturais. Com certeza, seu estilo de vida pode ter um enorme impacto sobre seus sintomas. Se você fizer escolhas diárias mais saudáveis, você poderá diminuir a quantidade de medicamento que você precisa. Os estabilizadores de humor que não requerem receita médica incluem manter um horário padrão de sono estrito, exercitar-se de forma regular, praticar técnicas de relaxamento e desenvolver um sólido sistema de suporte.

Adicione terapia ao seu plano de tratamento. Pesquisas indicam que as pessoas que tomam medicação para transtorno bipolar tendem a se recuperar de forma muito mais rápida, e a gerenciar seus estados de espírito de uma forma melhor do que se eles também recebem terapia. Terapia é uma boa ferramenta para lidar com as dificuldades da vida, gerenciar o seu progresso e lidar com os problemas que a transtorno bipolar está causando em sua vida pessoal e profissional.

Continue tomando a medicação, mesmo depois de se sentir melhor. A probabilidade de ter uma recaída é muito alta se você interromper o uso da sua medicação bipolar. Fale com o seu médico antes de fazer quaisquer alterações, mesmo que acredite que não precisa mais do remédio. O seu médico pode ajudá-lo a fazer quaisquer ajustes de forma segura.

Encontrar a medicação do transtorno bipolar

Pode demorar um pouco de tempo para identificar a medicação e a dose bipolares corretas para o seu caso. Todo mundo responde à medicação de forma diferente, então você pode ter que experimentar várias crises de transtorno bipolar antes de encontrar o que funciona para você. Seja paciente, mas não se conforme com uma medicação bipolar que também te faça sentir mal.

Uma vez que você descobriu o remédio para transtorno bipolar correto ou o coquetel de drogas, ainda pode demorar um tempo para determinar a dose ideal. No caso de medicamentos que regulam o humor, como o lítio, a diferença entre uma dose benéfica e uma tóxica é muita pequena. As frequentes consultas ao consultório para reavaliar suas necessidades de remédios e um monitoramento cuidadoso de sintomas e efeitos colaterais o guiarão a manter sua segurança.

***************************************************************Propaganda

A Espirulina ou Spirulina é um tipo de alga (cianobactéria) que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Apresentam em sua composição vitaminas, sais minerais, clorofila A, carotenóides, fenilalanina, entre outras substâncias ativas.
Espirulina é uma alga microscópica azul esverdeada composta por uma única célula e que torna a luz solar em energia ativa.
Evidências científicas relacionam o uso de Spirulina com a inibição do apetite, sustentadas na possibilidade de que a fenilalanina (precursor da norepinefrina) possa agir no sistema nervoso central, inibindo o apetite; também devido à capacidade que estas algas têm de absorver água, aumentando a sensação de estômago cheio. Artigos publicados na literatura sugerem que outras substâncias encontradas na espirulina, como biotina e ferridoxina podem promover a desintoxicação do organismo, porque auxiliam na eliminação de CO2. Para mais informações, clique aqui.

Indicações da Espirulina 
• Suplemento dietético;
• Auxiliar em regimes de emagrecimento;
• Evita a desnutrição;
• Grandes atividades psíquicas e físicas;
• Combate gastrites, úlceras gastroduodenais e desconfortos estomacais;
• Auxiliar nos regimes de emagrecimento;
• Promove sensação de saciedade;
• Fonte de vitaminas e minerais. 

************************************************************

Saiba mais sobre sua medicação de transtorno bipolar

Ao iniciar com uma nova medicação, informe-se sobre como tomá-la com segurança. Perguntas ao seu médico sobre qualquer nova receita incluem:

  1. Existem condições médicas que possam estar causando ou piorando minhas crises de humor?
  2. Quais são os efeitos colaterais e os riscos do remédio que você está recomendando?
  3. Quando e como devo tomar este remédio?
  4. Existem alimentos ou outras substâncias que eu preciso evitar?
  5. Como essa droga irá interagir com minhas outras prescrições?
  6. Por quanto tempo eu vou ter que tomar este medicamento?
  7. A parada da droga será difícil se eu decidir parar?
  8. Os meus sintomas voltarão quando eu parar de tomar a medicação?

Com que frequência devo falar com o meu médico?

Medicação para transtorno bipolar

Durante uma crise aguda ou depressão, a maioria das pessoas fala com o médico pelo menos uma vez por semana, ou mesmo todos os dias, para gerenciar os sintomas, as doses de medicação e os efeitos colaterais. À medida que você se recupera, você verá o seu médico com menos frequência; Uma vez que você esteja bem, você pode consultar seu médico para uma revisão rápida a cada poucos meses. Independentemente das consultas programadas ou exames de sangue, ligue para o seu médico se você sentir:

  • Sentimentos suicidas ou violentos
  • Mudanças de humor repentinas, sono ou energia
  • Alterações nos efeitos colaterais da medicação
  • Necessidade de medicamentos sem receita médica (medicamento para dor gripe ou para dor)
  • Uma doença médica aguda ou necessidade de cirurgia, cuidados dentários frequentes ou alterações em outros medicamentos que você toma
  • Uma mudança na situação de sua medicação, como gravidez

Medicamentos genéricos versus medicamentos de marcas

Os medicamentos genéricos devem ter o mesmo uso, dosagem, efeitos colaterais, riscos, perfil de segurança e potência como o medicamento da marca original. A principal razão pela qual os medicamentos genéricos são mais em conta do que os medicamentos de marca é que o fabricante de medicamentos genéricos não precisa reaver grandes despesas usadas desenvolver e comercializar uma droga. Uma vez que a patente do medicamento original já tenha expirado, outros fabricantes podem fabricar o mesmo medicamento com os mesmos ingredientes a um custo notoriamente mais baixo.

As vezes, os medicamentos de marca têm diferentes revestimentos ou corantes coloridos para mudar sua aparência. Em alguns casos, esses ingredientes extras tornarão a forma genérica do medicamento menos apreciável, portanto, se sua condição piorar depois de mudar de um remédio com nome de marca para um medicamento genérico, consulte seu médico. Na maioria dos casos, no entanto, os medicamentos genéricos são tão seguros e eficazes como os medicamentos de marca, e muito mais baratos.

Todas as drogas prescritas vêm também com riscos, mas se você tomar seus remédios voltados para o transtorno bipolar de forma responsável e combiná-los com terapia e opções de estilo de vida mais saudáveis, você pode diminuir os riscos e aumentar suas chances de sucesso no tratamento.

Tome seu medicamento bipolar conforme prescrito

Antes de fazer qualquer mudança na sua medicação bipolar, fale com o seu médico. Se você não gosta da maneira como o medicamento faz você se sentir ou se não está funcionando, pode haver outras opções que você deva tentar. E se você decidir que a medicação não é para você, seu médico pode te orientar a reduzir as drogas com segurança.

Acompanhe os efeitos colaterais

Usando um registro escrito, mantenha sempre um registro de quaisquer efeitos colaterais que você sinta, quando eles ocorrem e quão ruim eles são. Traga a anotação para seu médico, que pode ter sugestões para diminuir os efeitos colaterais, alterar mudar a dose ou até mesmo trocá-lo para outro medicamento ou alterar a dose de medicação bipolar.

Esteja atento às potenciais interações medicamentosas

Você sempre deve verificar se há interações entre os remédios  antes de tomar outra medicação prescrita, medicamento sem receita médica ou suplemento à base de plantas. As interações de remédios podem causar efeitos colaterais graves e inesperados ou tornam sua medicação para transtorno bipolar menos efetiva ou ainda  perigosa. Misturar certos alimentos e bebidas com a sua medicação bipolar também pode causar sérios problemas. Fale com o seu médico, leia as etiquetas dos medicamentos com cuidado ou fale com o seu farmacêutico.

Dicas para controlar medicamentos de transtorno bipolar

  • Use um lembrete diário do remédio, para garantir de que está tomando todos os medicamentos necessários.
  • Elimine medicamentos antigos ou aqueles que você não está mais tomando.
  • Saiba que os medicamentos funcionam melhor quando você está fazendo outras escolhas saudáveis de vida. Não espere uma pílula para consertar uma dieta falha, falta de exercício ou um estilo de vida abusivo ou caótico.
  • Reduza ou pare com o uso de álcool. O álcool é um depressivo e torna o tratamento ainda mais difícil. Também pode interferir na forma como o seu medicamento funciona.
  • Medicação para transtorno bipolar

Lítio: o primeiro estabilizador de humor para transtorno bipolar

Os estabilizadores de humor são remédios que ajudam a gerenciar  os altos e baixos do transtorno bipolar. Eles são a base do tratamento, tanto para a mania quanto para a depressão. O lítio é o estabilizador de humor com mais tempo de uso, é mais conhecido e é altamente eficaz no tratamento da mania.

O lítio também pode aliviar a depressão bipolar. No entanto, não é tão eficaz para crises mistas ou formas de ciclismo rápido de transtorno bipolar. O lítio pode demorar de uma a duas semanas para atingir o seu efeito total.

Efeitos secundários frequentes do lítio

Alguns desses efeitos colaterais comuns podem sumir à medida que seu corpo se adapta à medicação.

  • Ganho de peso
  • Sonolência
  • Tremor
  • Fraqueza ou fadiga
  • Sede excessiva; aumento da micção
  • Dor de estômago
  • Problemas de tireóide
  • Problemas de memória e concentração
  • Náuseas, vertigem
  • Diarréia

A importância dos exames de sangue regulares

Se você toma lítio, é importante realizar exames de sangue regulares para garantir que sua dose esteja na faixa efetiva. As doses que são muito altas podem também serem tóxicas. Quando você começa a tomar, seu médico pode analisar seus níveis sanguíneos uma ou duas vezes por semana. Quando a dose certa foi determinada e seus níveis ficarem estáveis, ainda é importante fazer exames de sangue a cada dois ou três meses, já que muitas coisas podem ser afetadas, quando seus níveis de lítio mudarem. Mesmo tomar uma marca diferente de lítio pode trazer a diferentes níveis sanguíneos.

Outros fatores que influenciam seus níveis de lítio

  • Perda de peso ou ganho repentina
  • A quantidade de sódio na sua dieta
  • Mudanças sazonais (os níveis de lítio podem ser maiores no verão)
  • Muitos medicamentos prescritos e de venda livre (por exemplo, ibuprofeno, diuréticos e medicação cardíaca e de pressão arterial)
  • Cafeína e chá
  • Desidratação
  • Flutuações hormonais, geralmente durante o ciclo menstrual e gravidez
  • Mudanças na sua saúde (por exemplo, doença cardíaca e doença renal aumentam o risco de toxicidade de lítio)

 

O que posso fazer para evitar que níveis tóxicos de lítio se desenvolvam?

  • Faça o exame de sangue sempre que for pedico.
  • Não altere de repente a quantidade de sal na sua dieta; é especialmente importante não diminuir de repente a ingestão de sal.
  • Beba líquidos suficientes, especialmente se você está se exercitando mais forte ou em um clima quente quando suda mais.
  • Lembre-se que as bebidas alcoólicas podem fazer você perder água em geral. Isto é particularmente importante ter em mente se você está de férias no sol: você pode sentir como beber mais álcool, e o clima pode estar quente, então você sua mais.
  • Consulte um médico imediatamente se tiver algum dos sintomas físicos listados acima. Avise sempre a qualquer médico ou farmacêutico que está atualmente tomando lítio, antes de ser prescrito ou comprar medicamentos novos.

Estabilizadores de humor anticonvulsivos para transtorno bipolar

Originalmente desenvolvido para ser usado no tratamento da epilepsia, os anticonvulsivantes demonstraram relaxar os sintomas da mania e reduzir os movimentos de humor.

Ácido valpróico (Depakote)

O ácido valproico, também conhecido como divalproex ou valproate, é um gerenciador de humor altamente eficaz. Os nomes de marcas comuns incluem Depakote e Depakene. O ácido valproico é constantemente a primeira escolha para crises rápidas,  mista ou algum caso de mania com alucinações ou delírios. É uma boa opção de medicação bipolar se você não pode aguentar os efeitos colaterais do lítio.

Os efeitos colaterais comuns incluem:

  • Sonolência
  • Ganho de peso
  • Tontura
  • Tremor
  • Diarréia
  • Náusea

Outros medicamentos anticonvulsivantes para transtorno bipolar

  • Carbamazepina (Tegretol)
  • Lamotrigina (Lamictal)
  • Topiramato (Topamax)
***************************************************************Propaganda

A Espirulina ou Spirulina é um tipo de alga (cianobactéria) que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Apresentam em sua composição vitaminas, sais minerais, clorofila A, carotenóides, fenilalanina, entre outras substâncias ativas.
Espirulina é uma alga microscópica azul esverdeada composta por uma única célula e que torna a luz solar em energia ativa.
Evidências científicas relacionam o uso de Spirulina com a inibição do apetite, sustentadas na possibilidade de que a fenilalanina (precursor da norepinefrina) possa agir no sistema nervoso central, inibindo o apetite; também devido à capacidade que estas algas têm de absorver água, aumentando a sensação de estômago cheio. Artigos publicados na literatura sugerem que outras substâncias encontradas na espirulina, como biotina e ferridoxina podem promover a desintoxicação do organismo, porque auxiliam na eliminação de CO2. Para mais informações, clique aqui.

Indicações da Espirulina 
• Suplemento dietético;
• Auxiliar em regimes de emagrecimento;
• Evita a desnutrição;
• Grandes atividades psíquicas e físicas;
• Combate gastrites, úlceras gastroduodenais e desconfortos estomacais;
• Auxiliar nos regimes de emagrecimento;
• Promove sensação de saciedade;
• Fonte de vitaminas e minerais. 

************************************************************

Medicamentos antidepressivos para transtorno bipolar

Embora os antidepressivos tenham sido tradicionalmente usados ​​para reparar crises de depressão bipolar, seu uso está se tornando cada vez mais controverso. Um crescente número de pesquisas analisaram a sua segurança e eficácia em questão.

Os antidepressivos devem ser usados ​​com precaução

Os antidepressivos não funcionam muito bem para a depressão bipolar. As novas evidências sugerem que os antidepressivos não são tão eficazes no tratamento da depressão bipolar. Um grande estudo financiado pelo Instituto Nacional de Saúde Mental mostrou que a inclusão de um antidepressivo a um estabilizador de humor não era mais eficaz no tratamento da depressão bipolar do que usando um estabilizador de humor apenas. Outro estudo financiado pelo NIMH indicou que os antidepressivos não funcionam melhor do que o placebo.

Os antidepressivos podem desencadear crises de mania em pessoas com transtorno bipolar. Se os antidepressivos forem utilizados, eles devem ser tomados juntos com um estabilizador de humor, como o ácido lítio ou valproico. Fazer o uso de um antidepressivo sem um estabilizador de humor é susceptível de desencadear um episódio maníaco.

Os antidepressivos podem elevar as flutuações do humor. Muitos especialistas indicam que ao longo do tempo, o uso de antidepressivos em pessoas com transtorno bipolar tem um efeito forte desestabilizador de humor, aumentando a frequência de episódios maníacos e depressivos.

Tratamento de depressão bipolar com estabilizadores de humor

O novo foco no tratamento da depressão bipolar é regular a dose de estabilizadores de humor. Se você pode interromper seu ciclismo de humor, você pode parar de ter episódios depressivos inteiramente. Se você é capaz de interromper o ciclismo do humor, mas os sintomas de depressão permanecem, os seguintes medicamentos podem auxiliar:

  • Lamictal (lamotrigina)
  • Seroquel (quetiapina)
  • Zyprexa (olanzapina)
  • Symbyax (uma pílula que combina olanzapina com o antidepressivo fluoxetina)

O que devo fazer se eu estiver tomando um antidepressivo?

Primeiro, e o mais importante, nunca entre em pânico! NÃO pare de tomar o antidepressivo de forma repentina, pois isso pode ser perigoso.

Medicamentos antipsicóticos para transtorno bipolar

Se você perder contato com a realidade durante uma crise maníaca ou depressiva, um remédio antipsicótico pode ser receitado. Eles também foram indicados para ajudar com episódios maníacos regulares. Os medicamentos antipsicóticos podem ser úteis também se você tentou usar estabilizadores de humor sem sucesso. Muitas vezes, os medicamentos antipsicóticos são relacionados com um estabilizador de humor, como o ácido lítio ou valproico.

Os medicamentos antipsicóticos utilizados para o transtorno bipolar incluem:

  • Olanzapina (Zyprexa)
  • Quetiapina (Seroquel)
  • Risperidona (Risperdal)
  • Ariprazole (Abilify)
  • Ziprasidona (Geodon)
  • Clozapina (Clozaril)

Efeitos colaterais comuns de medicamentos antipsicóticos para transtorno bipolar

  • Sonolência
  • Ganho de peso
  • Disfunção sexual
  • Boca seca
  • Prisão de ventre
  • Visão embaçada

Lidar com disfunção erétil induzida por antipsicóticos

A disfunção sexual e erétil é de fato um efeito colateral comum de medicamentos antipsicóticos, que muitas vezes atrapalha os pacientes com transtornos bipolares de medicação contínua. No entanto, um estudo recente indicou que a medicação Sildenafil citrate (Viagra) é segura e eficaz no tratamento da disfunção erétil induzida pelos antipsicóticos em homens.

Outros medicamentos para o transtorno bipolar

Benzodiazepínicos

Os reguladores de humor podem levar várias semanas para atingir o seu efeito total. Enquanto você está esperando que a medicação funcione plenamente, seu médico pode receitar uma benzodiazepina para aliviar quaisquer sintomas de ansiedade, agitação ou insônia. Os benzodiazepínicos são sedativos de ação rápida que agem dentro de 30 minutos a uma hora. Devido ao seu elevado potencial, no entanto, os benzodiazepínicos só devem ser tomados até que o seu estabilizador de humor ou antidepressivo comece a funcionar totalmente. Aqueles com história de abuso de substâncias devem ser particularmente cautelosos.

Bloqueadores de canais de cálcio

Tradicionalmente usado para tratar problemas cardíacos e problemas de pressão alta, eles também têm um efeito estabilizador de humor. Eles têm menos efeitos colaterais do que os estabilizadores de humor usados tradicionalmente, mas também são menos eficazes. No entanto, eles podem ser uma opção segura para pessoas que não podem tolerar lítio ou anticonvulsivantes.

Medicamento de tireóide

Pessoas que sofrem com transtorno bipolar geralmente tem níveis anormais de hormônio tireoidiano, especialmente durante os ciclos rápidos. O tratamento com lítio também pode levar a baixos níveis de tireóide. Nestes casos, a medicação da tiróide pode ser adicionada ao regime de tratamento de drogas. Enquanto algumas pesquisas ainda estão em andamento, a medicação para a tireoide também se mostra como promessa como um tratamento para a depressão bipolar com efeitos colaterais mínimos.

A medicação para transtorno bipolar sozinha não é suficiente

A medicação bipolar é muito mais eficaz quando usada em combinação com outros tratamentos de transtorno bipolar , incluindo:

Terapia. As pessoas que tomam medicação para transtorno bipolar tendem a conseguir melhores resultados e a controlar seus estados de espírito muito melhor se eles também fazem paralelamente terapia. A terapia dá-lhe as ferramentas para lidar com as dificuldades da vida, gerenciar o seu progresso e lidar com os problemas que a transtorno bipolar está causando em sua vida pessoal e profissional.

Exercício. Fazer exercícios de forma regular pode diminuir os sintomas do transtorno bipolar e ajudar a gerenciar as mudanças de humor. O exercício também é uma maneira segura e eficaz de liberar a energia reprimida associada aos episódios maníacos de transtorno bipolar.

Horário de sono estável. Estudos descobriram que o sono insuficiente pode levar a episódios maníacos em pacientes bipolares. Para manter os sintomas e os episódios de humor no mínimo possível, mantenha um horário de sono padrão. Também é importante regular a escuridão e a exposição à luz, pois estes estimulam os ciclos de sono-vigília e perturbam o relógio biológico sensível em pessoas com transtorno bipolar.

Dieta saudável. Os ácidos graxos ômega-3 podem diminuir muito os sintomas do transtorno bipolar. O ganho de peso é um efeito colateral considerado comum de muitos medicamentos bipolares, por isso é importante incoporar hábitos alimentares saudáveis ​​para monitorar seu peso. Evite cafeína, álcool e drogas, pois podem agir negativamente com medicamentos bipolares.

Rede de apoio social. Viver com transtorno bipolar pode ser um desafio, e ter um sólido sistema de apoio da familia pode fazer toda a diferença em sua perspectiva e motivação. Entrar em um grupo de apoio ao transtorno bipolar pode te dar a oportunidade de compartilhar suas experiências e aprender com outras pessoas. O apoio de entes queridos também pode fazer toda a  diferença, então entre em contato com sua família e amigos. Eles se preocupam com você e querem sempre te ajudar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here