Distúrbios presentes no espectro do autismo + Guia para pais sobre os sintomas e diagnóstico no espectro do autismo
 

O autismo é uma clássica desordem do espectro, o que significa que existe um amplo grau de variação na forma como afeta as pessoas. Toda criança no espectro do autismo tem algumas habilidades únicas, sintomas e desafios. Aprender sobre os diferentes distúrbios do autismo poderá ajudá-lo a entender melhor seu filho, gerenciar os níveis de autismo e facilitar a comunicação com os médicos, professores e terapeutas que ajudam seu filho.

Compreendendo os distúrbios do espectro do autismo

O autismo não é uma desordem única, mas um espectro de distúrbios estreitamente relacionados com um núcleo comum de sintomas. Todo indivíduo no espectro do autismo tem problemas até certo ponto com interação social, empatia, comunicação e comportamento flexível. Mas o nível de incapacidade e a combinação de sintomas variam tremendamente de pessoa para pessoa. Na verdade, duas crianças com o mesmo diagnóstico podem parecer muito diferentes quando se trata de seus comportamentos e habilidades.

Sintomas e diagnóstico do autismo

Se você é um pai que irá começar a lidar com uma criança com espectro do autismo, você pode ouvir muitos termos diferentes, incluindo autismo de alto funcionamento , autismo atípico , transtorno do espectro do autismo e transtorno invasivo do desenvolvimento . Esses termos podem parecer confusos, não só porque existem muitos, mas porque médicos, terapeutas e outros pais podem usá-los de formas diferentes.

Mas, não importa o que médicos, professores e outros especialistas indiquem como  desordem do espectro do autismo, são as necessidades únicas do seu filho que são realmente importantes para você. 

***************************************************************** PropagandaRelora® é um complexo patenteado de extratos específicos de Phellodendron amurense e Magnolia officinalis (este último é usado na medicina tradicional chinesa para aliviar o estresse e reduzir a tensão muscular) que ajuda a regular os níveis de cortisol.
O cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas supra-renais em resposta ao estresse, no entanto o excesso de cortisol está associado a uma série de doenças e problemas de saúde como obesidade, diabetes, hipertensão, depressão, osteoporose, imunodepressão. Em particular, o excesso de cortisol acelera a perda de massa muscular, aumenta os níveis de açúcar no sangue e estimula a lipogênese (Shawn Talbott, The Cortisol Connection). 

Estresse no local do trabalho: Como lidar, sintomas e sinais
O Relora® foi desenvolvido para controlar sintomas de ansiedade, como preocupação, irritabilidade, agitação, medo, raiva, tensão muscular e fissura, sem causar os efeitos colaterais comuns associados a drogas ansiolíticas, como a sedação. Relora tem propriedades relaxantes, mas não é sedativo.
  Para mais informações, clique aqui.

Indicações do Relora® controle do estresse e apetite
• Auxiliar no controle dos sintomas do estresse sem causar sono;
• Auxilia na estabilidade dos níveis do cortisol;
• Auxilia o controle do peso associado ao estresse;
• Auxilia na melhora do humor;
• Melhora o desempenho físico na realização das atividades diárias;
• Auxilia na normalização do sono;
• Minimiza a compulsão alimentar causada pelo estresse.

 

*****************************************************************

Nenhum rótulo exato de diagnóstico pode dizer exatamente quais os desafios que seu filho encontrará. Encontrar o tratamento que aborda as necessidades do seu filho, em vez de se concentrar no que indicar ser um problema, é a coisa mais útil que você deve fazer. Você não precisa de um diagnóstico para começar a ter ajuda para os sintomas do seu filho.

Diferentes formas de autismo

Há de fato uma grande confusão sobre os nomes de várias doenças relacionadas ao aspecto de autismo. Alguns profissionais citam  “autistas” para evitar abordar as diferenças às vezes sutis entre as condições ao longo do espectro do autismo. Até 2013, havia cinco diferentes “distúrbios do espectro do autismo” classificados. As diferenças entre esses cinco eram difíceis de reconhecer, tanto para os pais tentando descobrir qual – se alguma – dessas condições afeta de fato seus filhos.

A Associação Americana de Psiquiatria tentou organizar as coisas ao combinar os transtornos invasivos do desenvolvimento em uma única classificação diagnóstica chamada “Transtorno do Espectro Autista” na última edição do livro referência de diagnósticos conhecido como Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Uma vez que muitas pessoas tinham sido diagnosticadas antes da mudança no sistema de classificação e, como muitos profissionais ainda usam aos rótulos pré 2013, os resumimos também aqui para sua referência. Para fins de clareza, enfatizamos que todas as seguintes condições e indicações estão agora abrangidas pela classificação ampla “Desordem do espectro do autismo” (ASD).

As três formas mais presentes de autismo no sistema de classificação pré-2013 eram Transtorno Autista – ou autismo ‘clássico’; Síndrome de Asperger; e Transtorno de desenvolvimento penetrante – Não especificado de outra forma. Esses distúrbios tinham iguais muitos dos mesmos sintomas, mas eles diferem em sua gravidade e também no impacto. O distúrbio autista é classificado como o mais severo. A síndrome de Asperger, às vezes chamada de autismo de alto funcionamento e PDD-NOS, ou mesmo autismo atípico, foram as variantes menos severas. O distúrbio desintegrador da infância e também a síndrome de Rett também estavam entre os distúrbios do desenvolvimento estudados. Uma vez que todas são doenças genéticas extremamente raras, geralmente são consideradas condições médicas individuais que realmente não pertencem ao espectro do autismo.

Em grande parte, devido a inconsistências na forma como as pessoas foram classificadas na época do diagnostico, todas as variantes acima indicadas do autismo são agora referidas como “Transtorno do espectro do autismo”. O rótulo único tira o foco de onde seu filho se classifica no espectro do autismo, se o seu filho possui transtorno do espectro autista. Se o seu filho está com certo atraso no desenvolvimento ou exibe outros comportamentos que parecem autismo, você precisará se consultar com um profissional médico ou um psicólogo clínico especializado em testes de diagnóstico para uma avaliação generalizada. O seu médico pode ajudá-lo a identificar se o seu filho tem transtorno do espectro autista, e quão severamente ele ou ela são afetados.

Tenha em mente que, apenas porque seu filho tem alguns dos sintomas semelhantes ao autismo, isso não significa que ele ou ela tenha de fato transtorno do espectro autista. 

O transtorno do espectro autista é diagnosticado se baseando na presença de múltiplos sintomas que prejudicam a capacidade de comunicação de uma pessoa, que formam relacionamentos, exploram, jogam e aprendem. ( Nota: No DSM-5, a versão mais recente da “Bíblia Referencia” de diagnóstico utilizada por profissionais de saúde mental e seguradoras em todo o mundo, os déficits em interação social e comunicação são agrupados em uma categoria especial. Apresentamos problemas com habilidades sociais separadamente dos problemas com a fala e linguagem, por exemplo, para tornar mais fácil para os pais identificar rapidamente os sintomas. )

Comportamento social e compreensão social

A interação social básica pode ser difícil para crianças com distúrbios do espectro autista. Os sintomas podem incluir:

  • Linguagem corporal, gestos e expressões faciais incomuns ou mesmo inapropriadas (por exemplo, evitando contato com os olhos ou usando expressões faciais que não correspondem ao que ele ou ela está sentindo)
  • Falta de interesse em outras pessoas, ou em compartilhar realizações (por exemplo, mostrando um desenho, apontando para um pássaro)
  • Geralmente não se aproximam dos outros ou buscam a interação social; encontra-se distante e separado; prefere estar sozinho
  • Dificuldade em reconhecer os sentimentos, reações e sugestões não verbais de outras pessoas
  • Resistência a ser tocado
  • Dificuldade ou falha em fazer novas amizades com crianças da mesma idade

Discurso e fala

Muitas crianças que sofrem de transtorno do espectro autista tem dificuldade com a compreensão do discurso e da linguagem. Os sintomas podem incluir:

  • Atraso no desenvolvimento da fala (após a idade de dois anos) ou mesmo não falar nada
  • Falando em um tom de voz anormal, ou com um ritmo estranho
  • Repetindo palavras, ou mesmo frases, uma e outra vez sem intenção comunicativa
  • Problemas para iniciar uma conversa ou mantê-la
  • Dificuldade em comunicar necessidades ou desejos
  • Não entende declarações ou perguntas mais simples
  • Levando o que é dito em forma literal, falta de humor, ironia e sarcasmo

Comportamento e jogo restrito

Crianças com transtorno do espectro autista são quase sempre restritas, rígidas e até obsessivas em seus comportamentos, atividades e interesses. Os sintomas podem incluir:

  • Movimentos feitos de repetitivas do corpo (batimento da mão, balanço); movendo-se constantemente
  • Fixação obsessiva a algum objetos incomuns (faixas de borracha, chaves, interruptores de luz)
  • Preocupação com um tema especifico de interesse, às vezes envolvendo números ou símbolos (mapas, matrículas)
  • Uma forte necessidade de igualdade, ordem e de rotinas (por exemplo, alinhar os brinquedos, seguir uma programação rígida). Fica chateado com a mudança na rotina ou mesmo no ambiente.
  • Tolerância fraca, postura anormal
  • Fascinados por objetos giratórios, peças móveis ou peças de brinquedos (por exemplo, girando as rodas em um carro de corrida, em vez de jogar com o carro inteiro)
  • Hiper ou hipo-reação à entrada sensorial (por exemplo, reage mal a certos sons ou texturas, aparentemente indiferente à temperatura ou dor)

Como crianças com transtorno do espectro autista costumam brincar

Menino pensativo

Crianças que sofrem de transtorno do espectro autista tendem a ser menos espontâneas do que outras crianças. Ao contrário de um típico garoto curioso apontando para coisas que atraem sua atenção, crianças com autismo geralmente parecem desinteressadas ou desconhecem o que está acontecendo ao seu redor.

Eles também mostram diferenças na forma como eles jogam e brincam. Eles podem ter problemas com o jogo funcional, ou em usar brinquedos que tenham um uso básico, como ferramentas de brinquedos ou conjuntos de cozinha. Geralmente, eles não começam uma”brincadeira”, participam de jogos em grupo, imitam outros, colaboram ou usam seus brinquedos de maneira criativa.

******************************************************************************

Propaganda

Perca peso sem estresse! Pessoas que estão em dieta ou em processo de reeducação alimentar tendem a ficar mais estressadas, compulsivas e ansiosas e muitas vezes acabam desistindo do foco antes de obter os resultados. Isso tem uma explicação: é devido ao aumento do nível de cortisol no sangue, dessa maneira é preciso controlar a produção deste hormônio.

Por ter a capacidade de aumentar os níveis de glicose no sangue, a produção de Cortisol em índices altos pode também gerar perda de massa muscular, aumento de peso e diminuição de testosterona, consequente perda de libido.

Relora® e Citrimax®garante a perda de peso sem estresse, através do equilíbrio na produção do Cortisol! A fórmula do equilíbrio metabólico consiste na associação de Relora® e Citrimax® e garante a perda de peso mais rápida sem causar ansiedade e compulsão alimentar. 

Estresse no local do trabalho: Como lidar, sintomas e sinais

Para mais informações, clique aqui.

Indicações do Relora® + Citrimax®:
• Pessoas em dieta ou no período de reeducação alimentar;
• Pessoas ansiosas, estressadas, com tendência a “descontar” esses fatores na comida.
• Auxilia na estabilidade dos níveis do cortisol;
• Auxilia o controle do peso associado ao estresse;
• Auxilia na melhora do humor;
• Melhora o desempenho físico na realização das atividades diárias;
• Minimiza a compulsão alimentar causada pelo estresse.

*************************************************************************

Sinais e sintomas relacionados ao transtorno do espectro de autismo

Embora não sejam parte dos critérios diagnósticos oficiais relatados do autismo, crianças com distúrbios do espectro do autismo muitas vezes sofrem de um ou mais dos seguintes problemas:

Problemas sensoriais – Muitas crianças que sofrem de distúrbios do espectro do autismo são submetidas ou mesmo não reagem a estímulos feitos de formas sensoriais. Às vezes, eles podem não identificar as pessoas que falam com eles, até ao ponto parecerem surdos. No entanto, em outras ocasiões, eles podem ser perturbados pelos sons mesmo baixos. Os ruídos súbitos, como um telefone que toca, podem ser perturbadores, e eles podem responder tampando as orelhas e fazendo barulho repetitivo para esconder o som ofensivo. As crianças no espectro do autismo também podem ser altamente sensíveis ao toque e à textura. Eles podem se resguardar com um tapinha na parte de trás ou a sensação de certos tecidos contra sua pele.

Dificuldades emocionais – Crianças que sofrem de distúrbios do espectro do autismo podem ter dificuldade em gerenciar suas emoções ou expressá-las de forma adequada. Por exemplo, seu filho pode começar a gritar, chorar ou rir sem motivo aparente. Quando forçado, ele ou ela pode indicar um comportamento perturbador ou mesmo agressivo (quebrar coisas, bater em outros ou prejudicar a si próprio). O Centro Nacional de Disseminação para Crianças com Deficiência também indicam que crianças com autismo podem não reconhecer os perigos reais, como veículos em movimento ou alturas, ainda que ficarem aterrorizados com objetos inofensivos, como um bicho de pelúcia.

Habilidades cognitivas irregulares – O autismo ocorre em todos os níveis de inteligência. No entanto, mesmo crianças com inteligência normal e alta geralmente possuem habilidades cognitivas desigualmente desenvolvidas. Não surpreendentemente, as habilidades verbais tendem a ser mais prejudicadas do que as habilidades não-verbais. Além disso, as crianças com transtorno do espectro do autismo geralmente se saem bem em tarefas envolvendo memória imediata, ou habilidades visuais, enquanto as tarefas que envolvem pensamento simbólico ou abstrato podem parecem mais difíceis.

Aproximadamente 10% das pessoas que sofrem de distúrbios do espectro do autismo possuem habilidades especiais de “sabedoria”, como Dustin Hoffman retratado no filme  Rain Man. As habilidades de sabedoria superiores mais frequentes envolvem cálculos matemáticos, habilidades artísticas e musicais e capacidade de memória. Por exemplo, um sábio autista pode conseguir multiplicar grandes números em sua cabeça, tocar um concerto de piano depois de ouvi-lo apenas uma vez, ou memorizar rapidamente mapas complexos.

 

Como receber um diagnóstico de desordem do espectro autista

O caminho para um diagnóstico de autismo pode ser difícil e demorado. Na verdade, muitas vezes ocorre de dois a três anos após os primeiros sintomas de autismo serem observados antes do diagnóstico oficial. Isto é devido em grande parte a preocupações sobre rotulagem ou diagnóstico incorreto do paciente. No entanto, um diagnóstico de ASD também pode ser adiado se o médico não tomar as preocupações dos pais com seriedade ou se a família não é encaminhada para profissionais de saúde que se especializam em distúrbios do desenvolvimento.

Sintomas e diagnóstico do autismo

Se você está preocupado que seu filho tenha autismo, é importante procurar um diagnóstico clínico eficaz. Mas não espere esse diagnóstico para fazer seu filho começar algum tratamento. A intervenção cedo durante os anos pré-escolares melhorará as chances de sua criança para superar seus atrasos no desenvolvimento. Então, veja as opções de tratamento mais simples disponíveis e tente não se preocupar se ainda estiver aguardando um diagnóstico feito de forma definitiva. Colocar um potencial rótulo no problema do seu filho é muito menos importante do que tratar os sintomas.

Diagnosticando o transtorno do espectro autista

Para determinar de forma exata se seu filho possui o transtorno do espectro do autismo ou outra condição de desenvolvimento semelhante, os clínicos sempre observam com atenção a maneira como seu filho interage com os outros, se comunica e também se comporta. O diagnóstico é feito baseado nos padrões de comportamento que são descobertos com a observação.

Se você está preocupado com o fato de seu filho ter transtorno do espectro do autismo e o desenvolvimento confirmar o risco, pergunte ao seu médico de família ou pediatra para encaminhá-lo de forma rápida para um especialista em autismo ou equipe de especialistas para uma avaliação abrangente. Uma vez que o diagnóstico de transtorno do espectro autista se torna complicado, é essencial que você se encontre com especialistas que tenham treinamento e experiência nesta área altamente especializada.

A equipe de especialistas envolvidos para o diagnóstico de seu filho pode incluir (mas não se limitam a):

  1. Psicólogos infantis
  2. Psiquiatras infantis
  3. Patologistas da fala
  4. Pediatras do desenvolvimento
  5. Neurologistas pediátricos
  6. Audiologistas
  7. Fisioterapeutas
  8. Professores de educação especial

Diagnosticar o transtorno do espectro do autismo não é um processo rápido. Não existe um teste médico único que possa diagnosticá-lo definitivamente; Em vez disso, para identificar com precisão o problema que seu filho enfrenta, várias avaliações e testes podem ser necessários.

Entrevista com os pais – Na primeira parte da avaliação diagnóstica, você dará informações de comportamentos antecedentes do seu médico, de desenvolvimento e comportamental do seu filho. Se você tem mantido um diário para registro ou tomando notas sobre qualquer coisa que lhe interessa, compartilhe todas essas informações. O médico também precisa saber sobre o histórico de saúde e saúde mental da sua família.

Exame médico – A avaliação médica inclui um exame físico geral, um exame neurológico, alguns exames laboratoriais e testes genéticos. Seu filho será submetido a este exame completo para indicar a causa de seus problemas de desenvolvimento e para achar quaisquer condições coexistentes.

Teste de audição – Uma vez que os problemas auditivos podem indicar em atrasos sociais e linguais, eles precisam ser excluídos antes que um distúrbio do espectro autista possa ser diagnosticado de fato. Seu filho será submetido a uma avaliação audiológica mais formal onde ele ou ela é testado para deficiências auditivas, bem como quaisquer outros problemas de audição presentes ou sensibilidade sonora que às vezes co-ocorrem com o autismo.

Observação – Especialistas em desenvolvimento observarão seu filho em uma variedade de comportamentos para procurar atitudes incomuns associados ao transtorno do espectro autista. Eles podem observar seu filho brincando ou interagindo com outras pessoas.

Triagem por envenenamento – Como o envenenamento por chumbo pode indicar sintomas semelhantes ao autismo, o Centro Nacional de Saúde Ambiental recomenda que todas as crianças com atrasos de desenvolvimento sejam examinadas também para envenenamento por chumbo.

Dependendo do seu filho e dos sintomas de sua gravidade, a avaliação diagnóstica também pode incluir processamento de fala, inteligência, social, sensorial e teste de habilidades motoras. Esses testes podem ser úteis não apenas no diagnóstico do autismo, mas também para determinar o tipo de tratamento que seu filho pode precisar:

Avaliação da fala e da linguagem – Um patologista da fala irá avaliar as habilidades de fala e comunicação de seus filhos quanto a sinais de autismo, bem como a busca de indicadores de deficiências ou distúrbios específicos da linguagem.

Testes cognitivos – Seu filho pode passar por um teste de inteligência padronizado ou uma avaliação cognitiva informal.

Avaliação do funcionamento adaptativo – Seu filho pode ser avaliado por sua capacidade de entender os casos, resolver problemas e se adaptar em situações da vida real. Isso pode incluir também o teste de habilidades sociais, não verbais e verbais, bem como a capacidade de realizar tarefas diárias, como vestir e alimentar-se.

Avaliação sensório-motora – Uma vez que a disfunção de integração sensorial costuma se relacionar com o autismo e pode até ser confundida com ela, um fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional pode analisar as habilidades finas do motor, do motor bruto e do processamento sensorial do seu filho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here