Se recuperando da Violação e Trauma Sexual – Dicas para se curar
O trauma de ser estuprado ou agredido sexualmente pode estar fazendo você sofrer, deixando você com medo, vergonha e sozinho ou atormentado por pesadelos, flashbacks e outras memórias desagradáveis sempre. Mas não importa o quão ruim você sente agora, é importante lembrar que você não foi o culpado pelo que aconteceu e você pode recuperar seu senso de segurança e confiança de forma plena. A recuperação do trauma sexual leva tempo e o processo de cura pode ser doloroso, principalmente no começo. Mas com as estratégias e o apoio adequados, você pode passar pelo trauma, reconstruir seu senso de controle e auto-estima, e até mesmo sair do outro lado, se sentir mais forte e mais resiliente.

As consequências da violação e do trauma sexual

A violência sexual é muito chocante rm nossa sociedade. De acordo com o CDC, quase 1 em cada 5 mulheres são estupradas ou mesmo agredidas sexualmente em algum momento de suas vidas, muitas vezes por alguém que conhecem e confiam, como um parente.

O impacto da violência sexual vai além de ferimentos físicos. Quando você sofre o estupro, o mundo nunca mais se sente como um lugar seguro na sua cabeça. Você não confia mais nos outros. Você nem confia em você mesmo. Você pode questionar seu próprio julgamento, sua auto-estima e até sua sanidade. Você pode se culpar pelo que aconteceu ou acreditar que se tornou “sujo” ou “sem valor”. As relações se aparentam perigosas, e ter uma intimidade é impossível. E, além disso, você pode – como muitos sobreviventes de estupro – lutar contra ansiedade e depressão .

É importante lembrar que o que está experimentando é uma reação normal ao trauma sofrido. Seus sentimentos de desamparo, vergonha, deficiência e auto-culpa são apenas os sintomas, não realidade. Reconhecer os mitos tóxicos de culpa de vítimas sobre violência sexual pode ajudá-lo a começar a curar.

Mitos e fatos sobre estupro e agressão sexual
Mito: você pode detectar um estuprador pela forma como ele parece ou como ele age.

Fato: não existe uma maneira segura de identificar um estuprador, pois ele é um humano. Muitos parecem completamente normais, amigáveis, encantadores e não ameaçadores.

Mito: se você não reagiu, não deve ter pensado que era tão ruim assim.

Fato: durante um ataque sexual, é extremamente comum ficar parado. Seu cérebro e seu corpo ficam em choque, dificultando-se mover, falar ou pensar.

Mito: as mulheres que são estupradas “pedem” pela forma como se vestem ou mesmo como agem.

Fato: a violação é um crime de oportunidade. Estudos mostram que os estupradores escolhem as vítimas com base na sua vulnerabilidade física, e não com a forma como elas são mais sensíveis ou como elas são bonitas.

Mito: A violação de fato é muitas vezes um mal-entendido.

Fato: De fato, os violadores muitas vezes se defendem alegando que o ocorrido se sucedeu por embriaguez ou falta de comunicação. Mas a pesquisa mostra que a grande maioria dos estupradores são reincidentes. Esses homens visam mulheres vulneráveis ​​e, muitas vezes, lhe dão previamente álcool para violá-las.

Mito: não é violação se você teve relações sexuais com a pessoa antes.

Fato: só porque você já concordou com o sexo com alguém no passado não lhes dá direitos perpétuos ao seu corpo. Se sua esposa, namorado ou amante forçar o sexo contra sua vontade, é uma violação sim.

Cura após estupro, passo 1: Reveja o que aconteceu com você

Pode ser extraordinariamente difícil admitir que você foi estuprado ou mesmo agredido sexualmente. Existe um estigma em anexo. Isso pode fazer você se sentir sujo, sem valor e fraco. Você também pode ter medo de como os outros irão reagir. Eles vão te julgar? Irão olhar para você de forma diferente? Parece mais fácil minimizar o que aconteceu ou mantê-lo em segredo de todos. Mas quando você fica em silêncio, você se negará a ajudar e reforçar sua vitimização.

Peça ajuda a alguém com quem confia

É comum pensar que, se você não fala sobre sua violação, isso realmente não aconteceu. Mas você não pode se curar quando está evitando a verdade. E se não falar sobre só acrescenta sentimentos de vergonha. Por mais assustador que seja para abrir, é o melhor caminho para te libertar. No entanto, é importante ser seletivo sobre quem você conta nessas horas, especialmente no início. Sua melhor opção é alguém que seja solidário, empático e calmo. Se você não tem alguém em quem confia de fato, fale com um terapeuta ou ligue para uma linha direta de emergência de violação.

Elimine sua sensação de desamparo e isolamento

O trauma pode deixar você se sentindo impotente e vulnerável. É importante lembrar-se de que você tem forças e habilidades para o enfrentamento, que podem ajudá-lo em momentos difíceis. Uma das melhores maneiras de recuperar o seu senso de poder é ajudar os outros: ofereça seu tempo, doe sangue ou conversar por horas com um amigo.

Você também pode querer se juntar a um grupo de apoio para outros sobreviventes de estupro ou abuso sexual, mesmo que de forma online. Os grupos de apoio podem ajudá-lo a se sentir menos isolado e sozinho. Eles também fornecem informações inestimáveis ​​sobre como lidar com os sintomas, além de trabalhar para a recuperação. Se você não conseguir encontrar um grupo de suporte na sua área, procure um grupo online de confiança.

Deixe a responsabilidade sobre todo o estuprador

Mesmo se você intelectualmente entender que não é culpado do estupro, você ainda pode sofrer com sentimentos de culpa e vergonha. Mas, como você reconhece a verdade sobre o que aconteceu, será mais fácil a aceitação plena de que você não é responsável.

***************************************************************

Propaganda

Você sofre com estresse, ansiedade e dificuldade para dormir, não tem um sono verdadeiramente revigorante? A Pinetonina® pode ajudar! A Pinetonina® é um spray aplicado na narina que é indicado para promover o bem-estar e diminuição dos sintomas do estresse como agitação, ansiedade e insônia. Este spray é derivado de fontes naturais, uma mistura de alguns óleos essenciais, que comprovadamente promovem a sensação de bem estar.
Sua aplicação é super inovadora, é aplicado via nasal e com isso acessa regiões do sistema nervoso central, modulando as atividades de neurotransmissores, proporcionando equilíbrio emocional, diminuição nos níveis de cortisol e melhora na qualidade do sono. Para mais informações, clique aqui.

 

********************

Se você está se sentindo culpado ou envergonhado deve ser porque …

  • Você não impediu o fato de acontecer : depois do fato, é fácil falar sobre o que você fez ou não fez. Mas quando você está no meio de um crime, seu cérebro e seu corpo estão em estado de choque. Você não pode pensar com clareza e de forma rápida. Muitas pessoas dizem que ficaram “congeladas”. Não se julgue por essa reação natural ao trauma. Você fez o melhor que pôde devido as circunstâncias extremas. Se você pudesse ter parado o fato, você teria.
  • Você confiou em alguém que “não deveria” ter confiado. Uma das coisas mais difíceis de lidar após um trauma feito por alguém que você conhece é a violação da confiança. É natural iniciar a questionar-se e se perguntar se você perdeu os sinais de alerta. Basta recordar que seu atacante é o único a culpar. Não se surpreenda ao assumir que seu infrator era um ser humano decente. Seu infrator é aquele que deve se sentir culpado e envergonhado, não você.
  • Você estava bêbado ou vestido de uma certa maneira provocativa … Você pode estar se perguntando se você é de alguma forma culpado pelo jeito que você estava vestido, se comportando ou porque estava bêbado e não cuidadoso o suficiente. Mas é importante lembrar que, independentemente das circunstâncias perante o fato, o único responsável pelo assalto é o perpetrador. Você não pediu por isso ou mereceu o que aconteceu com você.

Passo 2: Prepare-se para flashbacks e memórias perturbadoras

Quando passamos por algo estressante, nosso corpo entra temporariamente no modo “luta-ou-fuga”. Quando a ameaça passou, nosso corpo tende a se acalmar. Mas experiências traumáticas, como estupro, podem fazer com que nossos sistemas nervosos fiquem parados e presos em um estado de alto alerta. Somos extremamente sensíveis ao menor estímulo nos dado. Este é o caso de muitos sobreviventes de estupro. Flashbacks, pesadelos e memórias intrusivas são extremamente comuns nesses casos, especialmente nos primeiros meses após o fato. Para aqueles que começara a desenvolver transtorno de estresse pós-traumático (PTSD), eles podem durar muito mais tempo.

Para evitar o estresse de flashbacks e memórias perturbadoras:

Tente antecipar e preparar-se para se desencadear da reação. Os disparadores comuns incluem datas; pessoas ou lugares associados à violação; e certos pontos visuais, sons ou cheiros. Se você está ciente do que desencadeia uma reação perturbadora, você estará em melhor posição para entender o que está acontecendo e tomar medidas para se acalmar nesse momento.

Preste atenção aos sinais de perigo do seu corpo. Seu corpo e emoções lhe dão pistas quando você está começando a se sentir estressado ou msmo inseguro. Essas pistas incluem sensação de tempo, segurando a respiração, pensamentos de corrida, falta de ar, ondas de calor, tonturas e náuseas.

Faça passos imediatos para acalmar. Quando você notar algum dos sintomas acima, é importante agir de forma rápida para acalmar-se antes de se ficar fora de controle. Uma das maneiras mais rápidas e eficazes para se acalmar e evitar a ansiedade e o pânico é diminuir a respiração.

Evite o pânico com este exercício de respiração simples

  • Sente-se ou fique de pé confortavelmente com as costas retas, pode ser em um banco. Coloque uma mão em seu peito e a outra em seu estômago.
  • Respire lentamente pelo nariz, contando com quatro sempre. A mão em seu estômago deve se levantar. A mão no seu peito deve se mover muito pouco.
  • Segure a respiração por uma contagem de sete.
  • Exale através de sua boca até uma contagem de oito, empurrando o máximo de ar que puder, enquanto contrai os músculos abdominais. A mão em seu estômago deve se mover enquanto você expira de forma continua, mas sua outra mão deve se mover muito pouco.
  • Inale novamente, repetindo o ciclo até sentir-se relaxado e centrado de novo.

Dicas para lidar com flashbacks

Nem sempre é possível evitar flashbacks do fato ocorrodio. Mas se você se encontra perdendo o contato com o presente e achando que o fato está acontecendo de novo, há coisas que você pode fazer.

Aceite e tranquilize-se que este é um flashback, e não a realidade presente. O evento traumático acabou e você sobreviveu. Aqui está um script simples que pode ajudar: “Estou sentindo [em pânico, assustado, oprimido, etc.] porque estou lembrando [evento traumático], mas enquanto olho em volta, vejo que [evento traumático] não está acontecendo agora mesmo e eu não estou realmente em perigo. “

Concentre-se somente no presente. As técnicas de aterramento ajudam você a direcionar sua atenção para longe do flashback e de volta ao seu ambiente atual. Alguns exemplos incluem tocar ou balançar seus braços ou descrever seu ambiente real e o que você vê ao olhar ao redor (por exemplo, nomeie o lugar onde você está, a data de hoje e 3 coisas que você vê ao olhar ao redor).

Passo 3: Reconecte-se ao seu corpo e sentimentos

Uma vez que seu sistema nervoso está em um estado hipersensível, o que ocorre após uma violação ou assalto, você pode começar a fazer coisas para adormecer ou evitar qualquer associação com o trauma passado. Quando você desliga as sensações desagradáveis, você também desliga a sua auto-consciência e junto a capacidade de alegria.

Trauma Sexual - Como se recuperar

Sinais que você está evitando as sensações:

  • Sentindo-se fisicamente exausto. Você não sente sensações corporais como você costumava sentir (você pode até ter problemas para diferenciar entre prazer e dor).
  • Sentir-se afastado do seu corpo ou ambiente (você pode sentir que está se observando sozinho ou a situação em que se encontra, ao invés de participar dela).
  • Ter problemas para se concentrar e lembrar coisas simples.
  • Usar estimulantes, atividades arriscadas ou dor física para se sentir viva e diminuir o sentimento vazio dentro de você.
  • Compulsivamente usar drogas ou álcool todo dia.
  • Escapar da realidade usando fantasias, devaneios ou assistindo muita TV, videogames, etc.
  • Sentir-se afastado do mundo como um todo, das pessoas em sua vida e das atividades que costumava curtir.

Para se recuperar após estupro, você precisa se reconectar ao seu corpo e sentimentos

É assustador voltar a entrar em contato com seu corpo e sentimentos após um trauma sexual, recente. De muitas maneiras, a violação torna seu corpo um novo inimigo, algo que foi violado e contaminado – algo que você pode odiar ou querer ignorar sempre. Também é assustador enfrentar os sentimentos intensos associados ao fato. Mas enquanto o processo de reconectar pode se sentir ameaçador, não é realmente perigoso, de fato. Os sentimentos, embora poderosos, não são de fato realidade. Eles não vão machucá-lo ou deixá-lo louco. O verdadeiro perigo para sua saúde física e mental vem de tentar evitá-los. Uma vez que você volte ao contato com seu corpo e sentimentos, você se sentirá mais seguro, seguro e poderoso com o tempo.

Aqui estão algumas técnicas que podem ajudá-lo a te fazer reconectar com seu corpo e da maneira que você sente:

Movimento rítmico. O ritmo pode ser muito lento. Isso nos ajuda a relaxar e recuperar um senso de controle sobre nossos corpos, mesmo depois um fato marcante. Qualquer coisa que combine ritmo e movimento funcionará: dançar, correr, pular. Você pode até incorporá-lo em sua rotina de caminhada ou corrida, concentrando-se nos movimentos de ida e volta de seus braços e pernas.

Meditação de atenção plena. A meditação mental pode ser praticada em qualquer lugar, mesmo enquanto você está caminhando ou trabalhando. Basta concentrar-se no que você está sentindo no movimento atual – incluindo quaisquer sensações e emoções corporais, mesmo que novas. O objetivo é observar sem julgamento.

Yoga, Tai Chi e Qigong. Essas atividades combinam a consciência corporal com movimentos relaxantes e focados e podem ajudar a aliviar os sintomas de TEPT e trauma.

Massagem. Após a violação, você pode se sentir desconfortável com o toque humano, mesmo que carinhoso. Mas tocar e ser tocado é uma maneira importante de dar e receber carinho e conforto. Você pode começar a se reabrir ao contato humano através da terapia de massagem, por exemplo.

 

Passo 4: mantenha-se conectado e cuide-se

A cura do trauma sexual é um processo gradual e contínuo, que pode demorar. Isso não acontece do dia para a noite, nem as memórias do trauma desaparecem completamente. Isso pode tornar a vida difícil às vezes. Mas há muitas coisas que você pode fazer para lidar com sintomas residuais do fato, e reduzir sua ansiedade e medo.

Fique ligado à família e aos amigos

É comum sentir-se isolado e desconectado de outros humanos após um ataque sexual. Você pode ser tentado a se retirar das atividades sociais e de seus entes queridos. Mas é importante ficar conectado à vida e às pessoas que se preocupam de fato com você. O apoio de outras pessoas é vital para sua recuperação. Mas lembre-se que o apoio não significa que você sempre tem que conversar ou se preocupar com o que aconteceu no passado. Divertir-se e rir com pessoas que se preocupam com você podem ser igualmente curadoras.

Participe de atividades sociais , mesmo que não sinta vontade. Faça coisas “normais” com outras pessoas, como sair para um parque, coisas que não têm nada a ver com o trauma sexual.

Reconecte-se com velhos amigos. Se você se retirou de relacionamentos que antes eram importantes para você, faça o esforço para se reconectar novamente.

Faça novos amigos. Se você mora sozinho ou longe de família e amigos, tente chegar lá e fazer novos amigos. Comece uma aula ou participe de um clube para conhecer pessoas com interesses semelhantes, se conectar a uma associação de ex-alunos ou se relacionar com  vizinhos ou colegas de trabalho.

Apoio a cura pela alimentação

Reserve um tempo para descansar e restaurar o equilíbrio do seu corpo. Isso significa fazer uma pausa quando você está cansado e evitar a tentação de se perder, jogando-se em atividades. Evite fazer qualquer coisa compulsivamente, incluindo o trabalho. Se você está tendo problemas para relaxar e manter sua guarda, você pode se beneficiar de técnicas de relaxamento, como meditação e yoga.

Seja inteligente sobre o consumo de mídia. Evite assistir a qualquer coisa que possa desencadear memórias ruins ou mesmo flashbacks do fato. Isso inclui coisas óbvias, como notícias sobre violência sexual, programas e filmes de TV sexualmente explícitos. Mas você também pode querer evitar temporariamente qualquer coisa que seja excessivamente estimulante, incluindo as mídias sociais.

Cuide-se fisicamente. É sempre importante comer direito, de forma nutritiva, exercitar-se regularmente e dormir muito – principalmente quando você estiver curando um trauma. O exercício em particular pode acalmar seu sistema nervoso traumatizado, aliviar também o estresse e ajudá-lo a se sentir mais poderoso e controlar o seu corpo.

Evite álcool e drogas. Evite a tentação de auto-medicar com álcool ou drogas. O uso de substâncias piora muitos sintomas de trauma, incluindo entorpecimento emocional, isolamento social, raiva e depressão. Também interfere com o tratamento e pode adicionar problemas em casa e em seus relacionamentos.

Nossa sexualidade é o aspecto mais íntimo e privado de quem somos. Nossa sexualidade tem a ver com a forma como nos sentimos sobre ser masculino ou feminino e com a sensação de estarmos com nosso corpo, nossos órgãos genitais e nossos pensamentos, expressões e relacionamentos sexuais.

Quando você foi abusado sexualmente – se você sofreu uma suave sedução por um parente amado ou uma violação violenta por um estranho na rua – sua visão e experiência de sua sexualidade foram efetuadas pelo que aconteceu com você.

A boa notícia é que existe uma variedade de ótimas técnicas de cura eficazes para ajudar os sobreviventes a superar as repercussões sexuais causadas pelo abuso.

Quais são os problemas sexuais causados ​​pelo abuso sexual? Os dez sintomas sexuais mais comuns de abuso sexual são:

1. evitar ou mesmo ter medo do sexo
2. aproximar o sexo como uma obrigação
3. experimentar novos sentimentos negativos como raiva, desgosto ou culpa com o toque
4. ter dificuldade em se tornar excitada
5. sentir-se emocionalmente distante ou não presente durante o sexo com o amado(a)
6. experimentar pensamentos e imagens sexuais intrusivos ou perturbadores durante o ato
7. envolver-se em comportamentos sexuais compulsivos ou inapropriados sempre
8. experimentar dificuldade em estabelecer ou manter um relacionamento íntimo a dois
9. sofrer de dor vaginal ou dificuldades orgásmicas
10. ter casos de dificuldades de ereção ou ejaculatórias

O que é cura sexual? A cura sexual é um processo de capacitação no qual você analisa sua sexualidade como positiva e prazerosa. Envolve o uso de estratégias e técnicas especiais de cura para mudar ativamente atitudes e comportamentos sexuais, resultantes de algum abuso. O processo de cura sexual geralmente inclui: obter uma compreensão mais profunda do que aconteceu, do motivo e como ele influenciou sua sexualidade, estimulando seu corpo e aumentando a autoconsciência, desenvolvendo um senso positivo de sua sexualidade e aprendendo novas habilidades para experimentar o contato sexual e sexual em segurança, formas de afirmação da vida.

Trauma Sexual - Como se recuperar

A cura sexual pode levar vários meses até vários anos, ou mais, para ser efetiva. É considerado um trabalho a longo prazo de recuperação e, portanto, melhor realizado somente depois que um sobrevivente está em um estilo de vida estável, seguro e que abordou os efeitos mais gerais do abuso sexual, como depressão, raiva, auto-culpa e preocupações de confiança.

Existem diferentes níveis de trabalho de cura sexual que um sobrevivente pode se atentar; simplesmente lendo sobre recuperação para se envolver em uma série de exercícios progressivos, chamados de “técnicas de reaparecimento ao toque”. Esses exercícios oferecem chances para praticar uma nova abordagem para o toque íntimo. Enquanto alguns sobreviventes são capazes de progredir na sua cura sexual por conta própria, outros acham essencial alistar a orientação e o apoio de um profissional de saúde mental treinado. O cuidado profissional é recomendado por causa da alta possibilidade de que a cura sexual desperte lembranças e sentimentos traumáticos, o que não é recomendado.

Você não precisa estar em um relacionamento para fazer o trabalho de cura sexual de forma eficiente. Alguns exercícios são projetados para sobreviventes que estão no momento sozinhos. No entanto, se você tem um parceiro, seu parceiro precisa se educar sobre as repercussões sexuais do abuso e aprender estratégias para participar ativamente e efetivamente no processo de cura.

****************************************************

Propaganda

Super Chá do sono

O stress é uma parte inevitável de nosso moderno estilo de vida. Somos constantemente pressionados pelo tempo, trabalho, estudos e outras preocupações. Tudo isso afeta diretamente a saúde do corpo e da mente.
A medicina natural é a forma mais eficaz e passiva de amenizar e tratar todos os sintomas e problemas decorrentes do stress excessivo sem agredir outras partes do organismo. Para mais informações, clique aqui.

*******************************************************

Aqui estão algumas idéias sobre como começar a cura sexual:

1. Aprender sobre a sexualidade saudável

O primeiro passo na cura sexual é aprender a distinguir sexo tipo abusivo de sexo saudável, prazeroso. Se você costuma usar palavras como, “ruim”, “sujo”, “esmagador”, “assustador”, “doloroso” e “secreto” para descrever o sexo, você precisa perceber que estes são descritivos que podem perceber a um “abuso sexual”. A sexualidade é algo muito diferente. Caracteriza-se por escolha, consentimento, igualdade, respeito, honestidade, confiança, segurança, amor, intimidade e prazeres sensuais.
Nos livros que você lê e os filmes que você assiste, diminua sua exposição a imagens sexuais abusivas, e aumente sua exposição a exemplos de sexo em que os parceiros são responsáveis ​​e expressam amor e cuidado uns dos outros.

2. Veja-se como parte do que foi feito para você.

Nós somos todos sexualmente inocentes. Devido ao abuso sexual ou ao comportamento sexual subsequente passado, você pode acreditar erroneamente que, sexualmente, você é ruim, tem um corpo danificado ou simplesmente um objeto sexual para o uso de outra pessoa.

Deixe o passado ser passado, e consiga dar um passo ao futuro sexual saudável. Você não está preso aos rótulos negativos que um agressor pode ter te chamado, nem a forma como se viu como resultado do abuso. Agora você escolheu e pode afirmar seu verdadeiro eu com os outros. Os rótulos antigos desaparecerão quando você parar de acreditar e parar de atuar de forma a reforçá-los.

Trauma Sexual - Como se recuperar

3. Pare os comportamentos sexuais que fazem parte do problema.

Você não pode realçar uma nova base para o sexo saudável até que se tenha livrado de comportamentos sexuais que possam prejudicar a cura. Os comportamentos sexuais que precisam seguir geralmente incluem: ter relações sexuais sem querer, sexo inseguro e perigoso, assuntos extraconjugais, sexo promíscuo, sexo violento / degradante, sexo compulsivo e envolvimento em fantasias sexuais abusivas. Se você não pode fazer isso por conta própria, procure ajuda de programas de 12 passos e outros apoios. É preciso tempo para quebrar hábitos antigos, e também para aprender a canalizar a energia sexual de maneiras que nutrem o corpo e a alma.

4. Aprenda a lidar com reações automáticas ao toque

Muitos sobreviventes enfrentam reações automáticas desagradáveis ​​ao toque e também ao pensamento sobre sexo, tais como: flashbacks do abuso, pensamentos sobre o ofensor ou reações estranhas a algo que um parceiro sexual faz ou diz durante o ato sexual. Embora essas reações sejam comuns, e até de certo ponto inevitáveis, mesmo protetoras, resultados de trauma, anos mais tarde, eles podem interferir no sexo. Ao desenvolver a compreensão e a paciência, você pode aprender a lidar com elas de forma eficaz.

Quando você experimenta uma reação indesejada ao toque, pare e fique mais conscientemente consciente da reação, entenda que é um toque carinhoso. Então acalme-se fisicamente com técnicas de respiração lenta, auto-massagem e relaxamento profundo. Assim que possível, afirme a sua realidade atual lembrando-se de quem você é agora e de que você tem muitas opções. Você também pode querer mudar a atividade de alguma forma para torná-la mais confortável. As reações automáticas sumirão ao longo do tempo, tornando-se mais consciente e receptivo a elas.

5. Familiarize-se com as técnicas de toque.

Você pode ter que fazer exercícios de toque especiais para ajudá-lo a reaprender o toque íntimo de forma segura e relaxada. Diferente das técnicas tradicionais de terapia do sexo (que podem ser esmagadoras para os sobreviventes), as técnicas de “realçar” fornecem uma ampla variedade de exercícios para escolher, à medida que você se sente pronto.

Esses exercícios o ajudam a desenvolver habilidades positivas como: sentir-se relaxado com o toque, respirar confortavelmente, ficar presente, se comunicar com um parceiro, se divertir e expressar e receber amor através do contato físico. Os exercícios devem ser progressivos e seguem uma seqüência do toque brincalhão e não sexual às atividades de toque sensual e prazeroso. Quando necessário, você pode abordar problemas sexuais específicos, como dificuldades de orgasmos e de ereção, modificando as técnicas padrão de terapia sexual usando as novas habilidades adquiridas no retorno ao relançamento.

Você pode diminuir o dano que lhe foi feito no passado. Você pode aguardar uma nova onda de auto-respeito, contentamento pessoal e intimidade emocional. Quando você reivindica sua sexualidade, você se recupera.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here